Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Gerdau: ''O otimismo melhorou''

Presidente do Conselho de Administração do Grupo Gerdau, o empresário Jorge Gerdau (foto), de 82 anos, participou na sexta-feira, 7, de evento em São Paulo para debater a reforma tributária. A coluna conversou com um dos nomes mais importantes da história da indústria brasileira. Confira:


postado em 10/06/2019 06:00 / atualizado em 10/06/2019 11:15

(foto: Fábio Costa/JCom/D.A Press)
(foto: Fábio Costa/JCom/D.A Press)

Cenário político e econômico: “Todo começo de governo não é fácil, mas é preciso dizer que, nos últimos dias, o otimismo melhorou. Acho que, em grande parte, isso se deve à capacidade que a nação teve para entender a importância da reforma da Previdência. Também é preciso destacar o bom trabalho que está sendo feito na área de infraestrutura. Há vários sinais que mostram que o Brasil está andando.”

Reforma da Previdência: “Ela será um divisor de águas, um passo importante para o Brasil voltar a equilibrar, pelo menos parcialmente, as suas finanças.”

Reforma tributária: “A gente nota que o debate sobre a reforma tributária está maturando. Ela é muito importante, principalmente para o setor industrial. O Brasil continua exportando impostos e a reforma pode melhorar a situação das cadeias exportadoras.”

Economia de mercado: “É preciso olhar o mundo. Todas as economias socialistas estão fracassando ou fracassaram. A economia de mercado é o caminho. Se você comparar o número de empresas estatais que o Brasil tem com qualquer país desenvolvido, percebe que a nossa situação é insustentável.”

Educação: “O maior problema do Brasil é a educação. O analfabetismo funcional é elevadíssimo. Isso é inaceitável em um país que pretende atingir um patamar de desenvolvimento e dignidade.”



Para Flávio Rocha, lojas físicas vão resistir ao e-commerce

Muitos especialistas afirmam que o avanço inevitável do e-commerce vai acabar com as lojas físicas. Segundo o empresário Flávio Rocha, dono da Riachuelo, não é bem assim. Pelo menos no varejo. “Em nosso setor, a resiliência do mundo físico é maior”, diz o empresário. “A necessidade de sentir o produto, de tocar e experimentar as roupas, é muito forte para o cliente.” Rocha diz que, até 2025, 70% das vendas continuarão sendo feitas nas lojas físicas.

Volta do Mappin envolve disputa acionária

O ressurgimento da rede varejista Mappin no mercado brasileiro, sob gestão da família Fares, dona da Marabraz, esconde um conflito familiar acionário. Um dos quatro irmãos Fares está prestes a conseguir na Justiça o reconhecimento de propriedade da marca Marabraz. Segundo uma fonte que acompanha de perto as disputas, o problema é que, mesmo com a mudança de lojas Marabraz para Mappin, a família poderá ser punida por uso indevido da marca. A briga promete ser acirrada.

R$ 11,4 bilhões
foi a captação líquida dos fundos de previdência em abril, 40% acima do mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). A reforma da Previdência tem levado muitas pessoas a buscar alternativas de investimentos privados

***

"Há 30 anos, o Brasil tenta fazer uma reforma tributária. O país não pode esperar mais para mexer com profundidade no sistema"

. Marcos Cintra, secretário especial da Receita Federal

***


RAPIDINHAS

. A brasileira Intt Cosméticos aposta na venda de um novo creme à base de maconha. A marca se tornou referência em produtos eróticos, com 600 milhões de itens vendidos nos últimos anos. À frente dos negócios está a administradora de empresas Stephanie Seitz, de 23 anos, que se tornou uma das mais jovens executivas do mercado erótico mundial.

. A Intt não investe só no mercado brasileiro. “Estamos em um estágio de expansão”, diz Stephanie. “Por isso, ingressamos com uma linha própria na Europa e já estamos presentes com produtos também na Rússia, Chile, Colômbia e Paraguai.”

. O presidente da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), Alexandre de Juniac, tem reclamado para colegas dos rumos do mercado brasileiro de aviação. Segundo ele, as constantes mudanças nas regras de operação criam dificuldades desnecessárias paras as empresas. O executivo diz que isso afeta o interesse de estrangeiras em investir no país.

. Fundada em 2013, em Natal, a rede de cuidadores de pessoas Cuidare tem crescido no embalo do envelhecimento da população. A empresa conta com 58 unidades em 21 estados e, agora, vai expandir os negócios em Minas Gerais, com a abertura de unidades em cinco cidades (Belo Horizonte, Ipatinga, Juiz de Fora, Nova Lima e Uberlândia).


Publicidade