Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Cervejas artesanais desbravam mercado do futebol

Com a liberação do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios do Ceará, uma cláusula garante que 20% dos rótulos comercializados sejam de marcas locais independentes


postado em 14/05/2019 06:00 / atualizado em 14/05/2019 07:57

(foto: Rodrigo Clemente / EM / D.A. Press)
(foto: Rodrigo Clemente / EM / D.A. Press)


O Ceará deu um passo importante para o fortalecimento do mercado de cervejas artesanais no Brasil. Com a liberação do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios, aprovada na semana passada pela Assembleia Legislativa, uma cláusula garante que 20% dos rótulos comercializados sejam de marcas locais independentes. É o segundo estado do país a adotar a medida, já vigente em Santa Catarina. A proposta contou com o apoio da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). Segundo Francisco Abaeté Neto, presidente da Abracerva do Ceará, a ideia é fomentar a cultura cervejeira na região e educar o público para um consumo mais consciente, priorizando a qualidade no lugar da quantidade. “Consideramos a nova legislação uma grande vitória”, diz o executivo. “Com a aprovação, conseguiremos alcançar novos públicos e fortalecer as marcas locais. Todos saem ganhando.”

Inovação 1: Gol lança embarque
por reconhecimento facial

Para agilizar processos e melhorar as operações, o setor aéreo tem investido em uma série de inovações. Neste mês, a Gol estreia no aeroporto internacional do Rio de Janeiro o embarque biométrico por reconhecimento facial. Funciona assim: uma câmera registra características do rosto, como o tamanho dos ossos e a distância entre os olhos, e verifica se esses parâmetros correspondem à pessoa que deseja embarcar. A tecnologia já foi adotada por empresas como a holandesa KLM e a americana Delta.


Para reverter vendas fracas, JAC aposta nos carros elétricos

Depois das vendas discretas no ano passado, o empresário Sérgio Habib, dono da chinesa JAC no Brasil, aposta agora nos carros elétricos. Até 2020, a empresa vai lançar cinco veículos desse tipo no país, já considerando o iEV 40, que chega em agosto por R$ 130 mil. A ideia é turbinar a operação, que emplacou apenas 3,9 mil veículos em 2018. Neste ano, os negócios começaram mal. Em janeiro, enquanto os importados recuaram 10,8% na comparação anual, os licenciamentos da JAC encolheram 56,5%.



Trabalhei muitos anos em banco e sei que dificilmente um
banqueiro vai para o céu, mas tenho esperança de me redimir pela educação financeira”

Ney Miyamoto, sócio da gestora Alaska, que tem em carteira um dos fundos de ações mais rentáveis do país

Inovação 2: Na 99,
reconhecimento facial
para motoristas

A tecnologia de reconhecimento facial está se tornando onipresente. Ontem, a 99, da chinesa Didi Chuxing, anunciou que usará o sistema como ferramenta de segurança. Segunda a empresa, a ideia é adotar o reconhecimento fácil para confirmar a identidade dos motoristas. Para que não haja riscos na identificação, o procedimento será realizado em parceria com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).


US$ 225
milhões

foi a multa aplicada pela Comissão Europeia à cervejaria
belgo-brasileiro AB InBev por práticas comerciais que
prejudicaram a livre concorrência de mercado






Publicidade