Publicidade

Estado de Minas REABERTURA

BH: Kalil flexibiliza economia e comércio funcionará de segunda a sexta-feira

Plano do prefeito é reabrir economia de acordo com os níveis de transmissão da COVID-19 na cidade


20/08/2020 14:04 - atualizado 20/08/2020 18:51

Kalil anunciou flexibilização do comércio, com inclusão dos restaurantes na fase 2(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Kalil anunciou flexibilização do comércio, com inclusão dos restaurantes na fase 2 (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Após pressão de vários setores do comércio, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), flexibilizará ainda mais o funcionamento das atividades econômicas na capital, que sofreram inúmeras perdas em virtude da pandemia do coronavírus. Em entrevista na tarde desta quinta-feira (20), o chefe do Executivo municipal anunciou que abrirá o comércio de segunda a sexta-feira, mantendo o horário e o protocolo já anunciados anteriormente.

 

Uma das novidades da flexibilização é a abertura dos restaurantes para almoço, sem consumo de bebida álcoólica: "Os shoppings funcionarão de segunda a sexta-feira no mesmo horário. Restaurantes e lanchonetes não fazem parte da segunda fase, mas atendemos os comerciantes que vão para a rua. Abriremos de 11h às 15h. As praças públicas serão abertas, inclusive a Lagoa da Pampulha. Os parques, por motivos de organização, estarão abrindo gradativamente, porque precisam de protocolo, agendamento e porteiros", afirma Kalil.

 

Anteriormente, a PBH havia anunciado que adotaria um protocolo de abrir as atividades por três dias consecutivos e fechar nos quatro seguintes. 

 

Ao lado de Kalil, participam da entrevista o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, e os infectologistas Carlos Starling, Unaí Tupinambás e Estevão Urbano, integrantes do Comitê de Enfrentamento à COVID-19 na cidade. Lideranças de vários setores do comércio também marcaram presença na prefeitura.

 

Apesar de flexibilizar a economia, Kalil admite que poderá decretar o fechamento das atividades se os números piorarem: "Está na hora de os lojistas, comerciantes tomarem conta do seu negócio. Nós não temos a menos dúvida que, se os números piorarem, vamos fechar totalmente a cidade. É uma probabilidade real e continua na nossa alça de mira", afirma o prefeito. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade