SIGA O EM

Asus lança smartphone de bateria superior ao Samsung que explodiu

De acordo com a empresa, os testes do Zenfone3Zoom foram intensificados em cinco vezes, depois do incidente com o celular da concorrente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1112653, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Asus/Divulga\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/03/27/857434/20170327102023584363e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 27/03/2017 10:12 / atualizado em 27/03/2017 10:33

Fred Bottrel

Asus/Divulgação

São Paulo (*) - A desconfiança do consumidor com celulares de bateria que tanto promete quanto aquece, após o fiasco internacional das explosões no último Samsung Galaxy Note 7, tornou-se desafio para toda a indústria de smartphones.

No esforço de rebater o problema da concorrente sul-coreana, a taiuanesa Asus coloca hoje nas prateleiras brasileiras o Zenfone3Zoom, um aparelho com aquela mesma incrível amperagem na bateria - com testes de segurança reforçados cinco vezes, para evitar o indesejado ‘estouro nas vendas’.

O Zenfone3Zoom oferece alta capacidade de 5 mil amperes e promete durar quase 20 horas rodando vídeo. O aparelho chega ao mercado com valores a partir de R$ 1,9 mil (tela de 5.5 polegadas, 3GB RAM e 32GB de armazenamento). A versão de 4GB RAM e 64GB sai a R$ 2,2 mil e a superior, com 128GB, por R$ 2,5 mil.

Diante do furacão enfrentado pela Samsung - que teve de recolher os aparelhos depois que as companhias aéreas o baniram e uma crise sem precedentes se alastrou na web -, a taiuanesa reviu os padrões dos testes de segurança, de acordo com Marcel Campos, gerente de marketing da Asus. "A fabricação culmina em uma fase que chamamos de burning test. Cada telefone é testado antes de ir para a caixa", detalha. A bateria do Note 7 tinha 3,5 mil amperes (a do iPhone 7Plus, 2,9 mil amperes).

Na apresentação do produto em evento para jornalistas e influenciadores digitais no fim de semana, Campos alfinetou: disse que no mercado brasileiro este é o aparelho com maior eficiência de bateria que não explode.

Segundo ele, os aparelhos são submetidos a uma condição extrema de carregar muito rápido e descarregar muito rápido a bateria, para testar o aquecimento: "O padrão da indústria são 30 minutos desses testes, subimos para 2 horas e meia, como consequência do que houve com a Samsung".

Teste EM

Nos primeiros testes, o desempenho da bateria parece, de fato, o grande trunfo do Zenfone3Zoom - o Estado de Minas usou o aparelho intensamente desde sexta-feira, para fazer vídeos, fotos e navegar na internet.

A durabilidade é de fato impressionante, além da sempre interessante função reverse charging, que te permite carregar algum outro aparelho cuja energia esteja moribunda. Design e estabilidade são outros pontos pra ele.

Por outro lado, o que sobrou aparentemente de teste em bateria faltou no que deveria ser a feature-protagonista e ajustes de software ainda são necessários para a câmera.

Embora o próprio nome do aparelho tenha referência à capacidade de produção de imagens - e apesar de todo o marketing ser focado nisso - há ainda muito o que desejar para a produção fotográfica - especialmente no modo automático, preferido por quem entende pouco ou nada de fotografia.

No manual

Em suma, fotos durante o dia sempre darão certo. Saiu disso, pode complicar. Com a função manual, a ideia é simular digitalmente as ferramentas encontradas em uma câmera profissional: foco automático, ISO, exposição, diafragma. Com paciência, os resultados ficam bem melhores do que no modo automático.

A abertura de 1.7 na lente deveria 'segurar a onda' de imagens com luz reduzida, mas as imagens assim ficam bem aquém da expectativa. O zoom ótico vai a 2.3 vezes e o digital de 12 vezes em condições de pouca luminosidade entrega praticamente uma ninfeia de Monet - vista bem de perto.

Embelezamento?

No modo vídeo, a pixelização e lentidão atrapalham bastante. E ferramentas que traduzem hábitos de consumo asiático - como o bizonho “embelezamento de selfies” que imprime olhos de mangá e filtros cor-de-rosa na pele - não fazem mesmo muito sentido.

(*) O jornalista viajou a convite da Asus
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marcelo
Marcelo - 27de Março às 12:45
Bateria de "5 mil amperes"? Isso dá pra alimentar uma casa! São 5 mil miliamperes/hora, ou 5 amperes/hora.