Publicidade

Estado de Minas

Alarme falso assusta astronautas da ISS no espaço


postado em 15/01/2015 00:12 / atualizado em 15/01/2015 13:23

 

Cabo Canaveral – Astronautas da Estação Espacial Internacional (ISS) levaram um susto ontem, depois de um alarme ter indicado um possível vazamento de uma substância tóxica. Posteriormente, a Nasa disse que um problema nos computadores disparou o alarme e que não houve vazamento de amônia, gás usado em sistemas de refrigeração.

 Os seis tripulantes se dirigiram em segurança para o lado russo da estação orbital, enquanto o controle da missão analisava os dados. Eles tiveram de correr para o lado russo duas vezes, a primeira quando o alarme disparou, e a segunda depois de outro aviso de possível vazamento. “Olá, todo mundo. Obrigada por se preocuparem”, disse a astronauta italiana Samantha Cristoforetti em mensagem no Twitter. “Estamos todos em segurança e passando bem no lado russo.”

Quando os alarmes dispararam, os astronautas seguiram os procedimentos de emergência e pegaram máscaras de oxigênio, se transferiram para o lado russo e fecharam as escotilhas que ligam os dois lados. Ao mesmo tempo, os controladores de voo no Centro Espacial da Nasa, em Houston, desligaram os equipamentos não essenciais. Em poucos minutos, o controle da missão liberou os astronautas para voltarem ao lado norte-americano, mas os mandou de volta ao lado russo quando surgiram outras evidências de um possível vazamento. O gás amônia, altamente tóxico e que flui do lado de fora da estação espacial, é usado para o resfriamento de equipamentos eletrônicos.

Os controladores de voo temiam, originalmente, que o gás tivesse entrado no sistema de água corrente na estação. Mas, no fim do dia, a informação era de que uma falha dos computadores havia provocado o alerta. Os tripulantes, três russos, dois norte-americanos e a astronauta italiana, permanecerão em três compartimentos relativamente pequenos no lado russo por enquanto.

SALUBRIDADE

O gerente do programa da Estação Espacial, Mike Suffredini, disse que, embora seja inconveniente para os seis ficarem isolados no lado russo, não há problemas de salubridade ou outro tipo de preocupação. Os engenheiros querem entender a falha nos computadores e confirmar “que o sistema está firme como acreditamos que deva estar”, disse Suffredini à TV Nasa.

Autoridades espaciais russas primeiramente informaram a existência de um vazamento, mas depois voltaram atrás em comunicado. O comandante norte-americano Butch Wilmore disse que sua tripulação estava cuidando dos suprimentos e experimentos da recém-chegada cápsula SpaceX quando o alarme avisando sobre o vazamento soou. Nenhuma das pesquisas parece ter sido prejudicada, revelou Suffredini.


RAIO-X DA ISS
O complexo da Estação Espacial Internacional (ISS) nunca teve de ser abandonado durante os 14 anos em que é ocupado por astronautas. Fazem parte da tripulação o comandante Wilmore, a italiana Samantha Cristoforetti, o norte-americano American Terry Virts e os russos Elena Serova, Alexander Samokutyaev e Anton Shkaplerov. Dezesseis países participam da ISS, posto avançado e laboratório espacial colocado em órbita em 1998 e que custou US$ 100 bilhões, financiados principalmente por Rússia e Estados Unidos. A ISS é um dos raros domínios da cooperação russo-americana que não sofreram com a degradação das relações entre os dois países com a crise na Ucrânia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade