SIGA O EM

Temer faz nova reunião com aliados para aprovar reforma da Previdência

O presidente tem dado prioridade à aprovação da reforma em reuniões com aliados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1115840, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Beto Barata', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/04/11/861359/20170411082108134770i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 11/04/2017 08:06

Iracema Amaral

Beto Barata

O presidente Michel Temer tem dado demonstrações que está empenhado pessoalmente em conseguir a aprovação da reforma da Previdência. Com um placar desfavorável para aprovar a matéria na Câmara, Temer tem nova reunião na manhã desta terça-feira com a base aliada na Casa.

A reunião agendada pelo presidente, no Palácio do Planalto, vai reunir na manhã desta terça-feira líderes da base aliada na Câmara dos Deputados e membros titulares e suplentes da Comissão Especial da Reforma da Previdência na Casa.

No domingo passado (9), Temer se encontrou com ministros representantes do Nordeste. O encontro reuniu Bruno Araújo, das Cidades; Mendonça Filho, da Educação; Raul Jungmann, da Defesa, Antonio Imbassahy, da Secretaria de Governo; ainda o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro, do PP da paraíba e os presidentes do Senado, Eunício Oliveira, e o da Câmara, Rodrigo Maia.

A bancada do Nordeste tem 151 deputados, sendo, pelo menos, 87 da base do governo. Esse grupo hoje representa um grande contingente de votos contra a reforma.

Alteração da proposta


O governo avalia hoje que não dispõe dos 308 votos necessários para aprovara reforma da Perevidência.

Na semana passada anunciou que recuar em alguns pontos para negociar a aprovaçao da matéria. O presidente negou que tenha recuado na proposta.

“Eu autorizei o nosso relator, deputado Arthur Maia, a fazer as negociações que fossem necessárias e depois, ao final, nós anunciaríamos o que tiver sido ajustado. Vai levar uns dias aí, mas já está autorizado. Prestar obediência ao que o Congresso Nacional sugere, não pode ser considerado recuo. Nós estamos trabalhando conjugadamente”, disse Temer na quinta-feira (6), logo após um após almoço com o Rei Carlos Gustavo e a Rainha Sílvia, da Suécia, no Palácio do Itamaraty.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
ÉRIKA
ÉRIKA - 11 de Abril às 17:11
Ansiosa para saber os nomes dos traidores de seu povo e eleitores. Que se apresentem!
 
claudio
claudio - 11 de Abril às 12:12
temer é pior que hitler!!..já ta velho e seu fim vem chegando, mas até lá vai acabando com o Brasil!..só deus p/ nos livrar desta merda corrupta que recebeu o safado do marcelo odebrecht no palacio do jaburu..amizade entre canalhas!!
 
claudio
claudio - 11 de Abril às 12:07
presidente acidental e seu minsitério igualmente imoral..incompetentes, corruptos e mentirosos..porque não mostram as receitas e despesas da previdencia para provar a alegada necessidade de reforma??..estão propondo uma reforma que resultará no acumo de dinheiro para o estado em detrimento do atendimento a população..ao mesmo tempo passaram a terceirização que colocará a pejotização com força total implicando em redução de recolhimento de contribuição previdenciária
 
sebastião
sebastião - 11 de Abril às 09:42
Pois é Robson- aposentadoria de políticos, não pode mudar. Quando uma pessoa que pagou previdência durante 34 anos, pagou pelo teto, tem direito; e ao solicitar correção porque está sendo roubado, vem um juiz, que se julga deus, dizendo ser improcedente o pedido de correção. Mas.. o cidadão, que aposentou com certo salário e é roubado todo ano até cair no mínimo, o juiz não acha errado. Isso é normal de CORRUPTOS. São os gambás cheirando os outros.
 
ROBSON
ROBSON - 11 de Abril às 08:43
Esse velhinho quer ferrar o povo trabalhador a qualquer custo, e os deputados e senadores sabem que as eleições estão próxima e que votar a favor está fora. essa reforma tem que começar de cima pra baixo, tem deputado aposentado que não contribuiu isso os safado não querem acabar.