SIGA O EM

Cármem Lúcia é recebida com protesto antes de palestra na PUC-MG

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, fez palestra em aula inaugural da Faculdade Mineira de Direito, da PUC, da qual é professora licenciada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1111118, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jair Amaral/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'Ministra C\xe1rmen L\xfacia durante palestra em aula inaugural da Faculdade de Direito da PUC-MG', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/03/20/855687/20170320113159208794o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 1111119, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jair Amaral/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': 'Protesto em frente \xe0 PUC-MG, no Bairro Dom Cabral, na Regi\xe3o Oeste de Belo Horizonte', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/03/20/855687/20170320113249513518o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 20/03/2017 11:21 / atualizado em 20/03/2017 11:36

Marcelo da Fonseca

Jair Amaral/EM/D.A Press

Manifestantes protestaram na manhã desta segunda-feira, em frente à Pontifícia Universidade de Minas Gerais (PUC-MG), no Bairro Dom Cabral, na Região Oeste de Belo Horizonte, onde a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, proferiu palestra.

Na entrada da universidade, a ministra passou por faixas questionando o posicionamento do STF em relação ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), e ouviu gritos de "golpista". A ministra chegou ao prédio da PUC-MG em um táxi.

Dentro do auditório, no entanto, Cármen Lúcia foi aplaudida em pé. Ela comentou a manifestação na porta da universidade: "Ao entrar aqui hoje vi as pessoas com manifestações. É direito de todos reclamar e opinar". Isso é parte da democracia", disse a ministra.

Democracia

A ministra fez palestra em aula inaugural da Faculdade Mineira de Direito (FMD), da PUC, da qual é professora licenciada. O título da palestra é "O Papel do Supremo Tribunal Federal na Consolidação da Democracia".

Cármen Lúcia falou sobre o papel do STF na construção da democracia e abordou questões como a demora no andamento dos processos no Judiciário brasileiro. Segundo ela, são 16 mil juizes para 80 milhões de ações. A ministra afirmou que será preciso "transformar e repensar" o Poder Judiciário.

Jair Amaral/EM/D.A Press
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marco
Marco - 20de Março às 12:50
Isso não é protesto. É uma meia dúzia de malucos petistas.
 
Lucio
Lucio - 20de Março às 12:42
Enfim tem alguém humana, capacitada, honesta e firme no comando do STF. Pena que pretenda se aposentar no próximo ano. Quanto aos idiotas fanáticos do PT, justificam porque o Brasil não vai pra frente. Com tanta roubalheira comprovada, um desemprego recorde e o país com a economia destroçada, ainda tem coragem de defender Lula, Dilma e toda essa corja. Triste