SIGA O EM

Cotado para ministro da Justiça, Velloso é amigo e advogado de Aécio no STF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 16/02/2017 14:07

Agência Estado

São Paulo, 16 - Cotado para assumir o Ministério da Justiça, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso é amigo e atua como advogado do presidente do PSDB, senador Aécio Neves, de quem não cobra honorários, nos dois inquéritos que o tucano responde perante o Supremo Tribunal Federal como desdobramento da Operação Lava Jato.

Velloso afirma que os casos em que atua para Aécio não têm relação com a Lava Jato. "Fui amigo de Tancredo Neves, avô de Aécio, e de Aécio Cunha, pai de Aécio. E sou amigo de Aécio desde os seus 22 anos, quando o conheci, em Belo Horizonte. Sou seu advogado nesses dois casos, em razão dessa amizade. Mais até como conselheiro", afirmou Velloso, por e-mail, à reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. Ele admitiu ainda atuar para o tucano sem cobrar nada.

As duas investigações contra Aécio tem origem na delação premiada do ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT e ex-PSDB, atualmente sem partido) que foi preso em novembro de 2015 acusado de tramar contra a Lava Jato. Para se livrar da cadeia, Delcídio fez delação premiada.

O ex-senador acusou Aécio de atuar para maquiar dados do Banco Rural na CPMI dos Correios (presidida por Delcídio) que poderiam atingir membros do PSDB e também de receber propinas em um esquema de corrupção em Furnas.

Os dois inquéritos estão sob relatoria do ministro Gilmar Mendes. Em dezembro do ano passado o tucano prestou depoimento à Polícia Federal no inquérito sobre a CPI dos Correios - na época, Aécio era governador de Minas.

Também são investigados neste inquérito Clésio Andrade, que era vice-governador do tucano, e o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), que era filiado ao PSDB.

No caso de Furnas, o tucano é investigado por suposto recebimento de propina de empresas terceirizadas que mantinham contrato com a estatal.

As vantagens indevidas seriam pagas pelas empresas ao ex-diretor da companhia, Dimas Toledo, que as repassava para o tucano.

O senador e os demais investigados nos inquéritos rechaçam as acusações de Delcídio.

Lava Jato

Além de Aécio, Velloso tem um cliente deputado que é investigado no âmbito da Operação Zelotes. Em relação à Lava Jato, contudo, o ex-presidente do STF diz que nunca atuou para os investigados da operação.

Ele conta que chegou a ser procurado por outro advogado que atua no caso para emitir um parecer. "Cheguei a ser procurado, logo no início, por mais de um advogado, a fim de estudar a possibilidade de emitir parecer. Em razão do sigilo profissional, só posso dizer-lhe que não emiti nenhum parecer em caso da Lava Jato", disse.

Caso assuma o Ministério da Justiça, Velloso terá que deixar de atuar como advogado, seguindo o Estatuto da Advocacia. "Sou advogado, na companhia de outros advogados, de um advogado, que é deputado, num caso da denominada Operação Zelotes, em curso no Supremo Tribunal Federal, ora distribuído ao ministro Ricardo Lewandowski. Aceitando assumir o Ministério da Justiça, me afastarei do caso, na forma do Estatuto da OAB."
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Voltaire
Voltaire - 17 de Ferveiro às 09:47
Achei que não podia piorar... A cada dia uma prova de que DECÊNCIA está longe da política brasileira.
 
FelipeGuerra
FelipeGuerra - 17 de Ferveiro às 09:00
Mais um cúmplice do golpe na corte. Este ex-ministro do STF, agora "advogado", cobrou R$ 500 mil da Assembléia Legislativa para dar um simples parecer sobre qual o fórum adequado para julgar o governador Pimentel. Tá tudo dominado. Temer aquartelou toda uma quadrilha no Planalto.
 
José
José - 16 de Ferveiro às 22:04
Tudo """"DOMINADO"""" ! ! ! - - - - - - - - - - - - - - g-o-l-p-e é G-----O-----L------P-----E ! ! !
 
Anderson
Anderson - 16 de Ferveiro às 17:49
Deixa eu ver se entendi, o cara vai ser nomeado ministro da justiça sendo amigo e advogado de um dos maiores ladrões da lava jato? A cara de pau desses golpistas não tem limite, já não basta a mulher do Palhaço Moro ser advogada da Shell e do PSDB, agora mais essa.
 
José
José - 16 de Ferveiro às 16:55
Eta gangue porreta ! ! ! -- - - - - DA PRESIDÊNCIA - - - - A OFFICE BOYS - - - - - - DE TODOS OS PODERES ! ! ! Tal explicado porque PT, LULA E DILMA são ODIADOS - PERSEGUIDOS em todos os poderes ! ! ! - - - - - - - -ALÔ MORO ! ! ! - - - - - De que lado estás ? ? ? - - - - -Cuidado que sobre pra ti ! ! @!
 
Aloisio
Aloisio - 16 de Ferveiro às 15:21
E realmente um país que se atola na podridão. Por questão de ética o sr. Velloso jamais deveria aceitar o cargo.E pedir a Deus que seu trabalho salve o senadorzinho de minas gerais.
 
Marcos
Marcos - 16 de Ferveiro às 14:54
Pensando bem, já que a coisa é sempre assim, é preciso mesmo contrabalançar as forças. No STF não tem o Tofoli, por exemplo, que foi advogado do PT durante anos e anos, amigo de lula e coisas que tais? Não tem Lewandovisk que é reconhecidamente vermelhete, demonstrando isto inclusive na votação do impeachment da terrorista, livrando-a da cassação dos direitos políticos? Todo nome que termina em "ovisk" é russo e russo, até bem pouco tempo era suspeito pela ditadura comunista que vigorou em seu país e demais "repúblicas" da "união". Isto para não citar outros... |MP|
 
DamoSuzuki
DamoSuzuki - 17 de Ferveiro às 08:57
Ow, estas asneiras que vc posta aqui vc as treina em casa ou elas saem, assim, espontâneas mesmo?