SIGA O EM

PSDB nega que tenha articulado urgência do pacote anticorrupção

Em nota, tucanos alegam que desde o início os senadores foram contrários à medida liderada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1089772, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Alex Ferreira/C\xe2mara dos Deputados', 'link': '', 'legenda': 'A nota foi assinada pelo l\xedder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC)', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/12/01/829192/20161201171322990738o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 01/12/2016 17:01 / atualizado em 01/12/2016 17:15

Agência Estado

Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC), divulgou nota em que nega que a bancada tenha participado de articulação para aprovar urgência do pacote anticorrupção. Ele alega que, desde o início, os senadores foram contrários à medida.

A manobra foi conduzida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), após líderes de alguns partidos se comprometerem a apoiá-lo.

"O PSDB informa que o senador Aécio Neves, consultado sobre a votação, reuniu a bancada do PSDB que se posicionou contra o caráter de urgência, decisão manifestada unanimemente pelo partido na votação", diz o texto.

A nota do PSDB não faz referência à possível articulação operada pelo presidente do partido Aécio Neves (MG), que segundo o relato de senadores de diferentes partidos - inclusive do PSDB -, teria participado de conversas ao longo da tarde para articular a manobra. A assessoria do senador nega qualquer envolvimento dele com a manobra.

Por fim, a bancada do PSDB votou em bloco contra o pedido de urgência. A maioria dos senadores do PT, ao contrário dos tucanos, não registraram presença na votação e não marcaram posicionamento. O líder do PT, Humberto Costa (PE), e da oposição, Lindbergh Farias (PT-RJ), votaram a favor da urgência.

Além do PSDB e do PT, PMDB, PP, PTN e PSD também participaram do acordo, que foi frustrado pela reação do plenário.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600