SIGA O EM

Procuradores ameaçam deixar Lava-Jato se Congresso aprovar punição a juízes e MP

A reação dos integrantes da força-tarefa ocorreu após a Câmara dos Deputados aprovar mudanças que responsabilizam integrantes do Judiciário por abusos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1089517, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'AFP / Heuler Andrey \n\n', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/30/828814/20161130164737702456a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 30/11/2016 15:47 / atualizado em 30/11/2016 18:46

Marcelo Ernesto

AFP / Heuler Andrey

O procurador e coordenador da força tarefa da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, se pronunciou na tarde desta quarta-feira sobre a aprovação do pacote anticorrupção durante a madrugada na Câmara dos Deputados. Ele tratou a ação dos parlamentares como “ditadura da corrupção” e repudiou a inclusão de medidas que afetam juízes e integrantes do Ministério Público no projeto.

"Se for aprovada, a proposta será o começo do fim da Lava Jato. A força-tarefa da Lava Jato reafirma seu compromisso de trabalhar enquanto for possível", afirmou, em coletiva realizada em Curitiba (PR). Ele e outros integrantes da força-tarefa ameaçaram deixar os trabalhos se o projeto for aprovado e sancionado pelo presidente Michel Temer.

Dallagnol tratou o pacote, da forma como foi aprovado, como “lei da intimidação”. “"O objetivo é estancar a sangria. Há evidente conflito de interesses entre o que a sociedade quer e o que o parlamento quer. Se instala a ditadura da corrupção”, afirmou.

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, que também participa da coletiva, afirmou que tanto ele como Dallagnol tem atividades em outras procuradorias e, se o pacte for aprovado, vão deixar de autuar a Lava-Jato. “Nós temos responsabilidade em outros locais, e vamos simplesmente voltar para nossas atividades normais", disse.

Ainda durante a coletiva, o procurador afirmou que medidas de combate à corrupção, apresentadas durante a gestão de Dilma Rousseff (PT), eram muito mais avançadas que as sugeridas pelo MP. “O que aconteceu ontem não é expressão de pessoas específica, e sim da articulação de líderes dos partidos e do governo", afirma.

Visivelmente irritado, Dallagnol disse que as propostas foram “desconfiguradas” ao chegarem ao Congresso. “Rasgou-se o texto das 10 medidas", afirma. "O parlamento é soberano, mas nós, depois de todo esse processo, saímos sem solução para acabar com as brechas que permitem a corrupção", pontuou ao listar que o país ocupa a 4ª posição em rankings que medem a corrupção.

Os deputados federais aprovaram na madrugada desta quarta-feira, 30, no plenário da Câmara, pelo menos 11 mudanças no texto do projeto de medidas de combate à corrupção que tinha sido aprovado na comissão especial, na semana passada.

Descontentes com o parecer do relator, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), parlamentares aprovaram emendas e destaques que incluíram novos temas e, sobretudo, retiraram trechos do pacote que dificultam investigações e flexibilizam a punição de corruptos.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
SAMUEL
SAMUEL - 01 de Dezembro às 13:52
Dallagnol, seu xiita fanático, vá se alistar no Estado Islâmico, seu safado!
 
CARLOS
CARLOS - 01 de Dezembro às 09:50
os mais iguais que os outros.
 
ALFREDO
ALFREDO - 01 de Dezembro às 09:16
Tchau, Dallagnol!
 
Carlos
Carlos - 01 de Dezembro às 08:09
Na época da Dilma, estes palhaços destes procuradores latiam forte, eram bravos, imponentes, verdadeiros semideuses. Bastou a camarilha do Temer Golpista entrar em campo para estes engravatados passarem a miar baixinho. Tem mais é que abandonar o barco mesmo, seus traíras oportunistas!
 
FelipeGuerra
FelipeGuerra - 01 de Dezembro às 08:06
Se for por falta de adeus, TCHAU!
 
Willem
Willem - 01 de Dezembro às 00:06
Não faz falta nenhuma aqui. VAi para o EUA para os colonos do bem, ja que aqui só tem corrupto como vc falou. Eles podem fazer o que quiser, ganhar uma fortuna por mes e se fizer algo errado são aposentados com o salario da ativa. Alias, pergunte ao MPMG sobre o clube de ferias deles em Guape, na beira da Represa de Furas.
 
luis
luis - 30 de Novembro às 23:57
Acorda povo brasileiro. Sai da zona de conforto. Seu presente e seu futuro estão ameaçados. Não é possível querer resolver a atual situação politica do nosso pais pelas vias democráticas. Entendam que nós não temos representantes eleitos, e com as opções que temos, nunca vamos ter, Não adiante esperar as próximas eleições porque os candidatos serão os mesmos ladrões de ontem e hoje. TEMOS QUE FECHAR ESTE CONGRESSO JÁ!!!!! Se fizermos isso, talvez os militares também saiam da zona de conforto e reajam para nos ajudar, VAMOS PRA BRASILIA EM 04/12.
 
JOSE
JOSE - 30 de Novembro às 21:03
A resposta que o STF deveria dar ao Congresso é Julgar os processos contra os políticos que estão "mofando" há anos na Corte.. e, CONDENA-LOS. A sociedade, com certeza, ficará agradecida.
 
Adriano
Adriano - 30 de Novembro às 19:56
Se alguém disser que sou intolerante, está tudo bem eu concordo e não me arrependo. Esses políticos que estão aí nos representam, então significa que eles são o nós, são o todo, dirão o que quiserem e teremos que ouvir, farão o que estão fazendo e teremos que engolir. O Maranhão manda no Brasil, as Alagoas também, agora o Ceará quer mandar. Chega. Esta pátria não tem futuro. Ou você para de votar nesta bestas, ou pare de reclamar.
 
ALFREDO
ALFREDO - 01 de Dezembro às 09:15
Uai, seu coxinha escroto, até outro dia vcs estavam batendo palmas para estes seus representantes, quando ele aplicaram o golpe do impeachment. Por que esta indignação agora?
 
Adriano
Adriano - 30 de Novembro às 19:43
Os políticos que surgem, são como bactérias, nocivas, fortalecendo-se a cada vez mais, umas matando as outras e o ambiente que as cerca é propício para o seu desenvolvimento. Não temos antibiótico que baste. Agora é chacota com todo mundo, pois enquanto protestávamos na esplanada dos ministérios, os estultos se deixavam filmar com suas taças, um deboche só. Ou ficar a Pátria livre. Ou morrer pelo Brasil. Não temais ímpias falanges. Que apresentam face hostil. Vossos peitos, vossos braços. São muralhas do Brasil
 
Celso
Celso - 30 de Novembro às 19:33
Acredito que esteja, sim, ocorrendo uma canonização de promotores, procuradores, juízes e outras tantas autoridades em nome dessa tal faxina no quadro político e econômico brasileiro. Entretanto, ainda sim, se há, exclusivamente, no atual contexto, somente duas opções a ser tomadas, entre aceitar canonizá-LOS e expor nosso LIXO, opto por expor nosso LIXO. Preferiria mesmo viver em um país em que não teria que escolher entre uma coisa e outra.
 
Celso
Celso - 30 de Novembro às 19:27
Interessante é que quando é necessário o pensar lógico é amplamente invocado no mundo jurídico para justificar a existência do Estado Democrático de Direito, tentando convencer a massa das benesses de suas ideologias. Entretanto, vejo isso como uma desesperadora ação visando ludibriar o povo, fazendo este acreditar que o politicamente correto, apesar de nem sempre trazer os melhores resultados imediatos, deve sempre ser respeitado, pois refere-se a um ACORDO SOCIAL de um POVO DESENVOLVIDO E CIVILIZADO. Balela. Diga não à corrupção, aos corruptos, aos corruptores e à ignorância geral.
 
José
José - 30 de Novembro às 19:25
NGRAÇADO VCOMO AS COISAS DÃO CERTINHAS, NÃO É MESMO ! ! ! encerrada a perseguição ao pt, AGORA os COLIGADOS FINGEM DESENTENDIMENTO E SAEM CORRENDO UM PARA CADA LADO E PRONTO ! ! ! - - - - - - - - - povão prestem atenção no que está acontecendo ! ! !
 
Adriano
Adriano - 30 de Novembro às 19:24
Não escolhemos onde iremos nascer, mas nascer na América do Sul significa que você conviverá fatalmente com a corrupção. Desarmaram a população duas vezes, a primeira tirando-lhe a capacidade de pensar e a segunda literalmente, quando incentivaram que todos devolvessem suas armas. O sem dedo não salvou ninguém, a vaca também não, o cheirador não teve competência e se mostrou inescrupuloso como os outros, agora temos a múmia paralitica e o manipulador de fantoche.
 
José
José - 30 de Novembro às 19:11
É ! - - - - Quanta vontade de continuar a investigação, hein ! ! ! - - - - - - - NUNCA VI JOGAREM TÃO INTEGRADOS ! ! ! Enfim, já não deram o GOLPE ! ! ! - - - - - - PRONTO, TUDO ESTÁ CONCLUÍDO ! ! !
 
Juarez
Juarez - 30 de Novembro às 19:00
Esses caras estão quebrando o país. Dinheiro: o nome do jogo. E a grande massa analfabeto política bitolada nem sabe o que se passa. Brazil.
 
Juarez
Juarez - 30 de Novembro às 19:00
Esses caras estão quebrando o país. Dinheiro: o nome do jogo. E a grande massa analfabeto política bitolada nem sabe o que se passa. Brazil.
 
Aldilei
Aldilei - 30 de Novembro às 18:00
Acho que tem coisa que so na bala e estes ladroes ja passaram do limite muito tempo.
 
edson
edson - 30 de Novembro às 17:01
É A NOSSA CHANCE DE MELHORAR ALGUMA COISA. SE NECESSÁRIO, VAMOS PRAS RUAS, VAMOS PRESSIONAR OS DEPUTADOS. UMA PEQUENA CORCHA DE MALFEITORES NÃO PODE COM UMA NAÇÃO INTEIRA.
 
Marco
Marco - 30 de Novembro às 17:00
Continuará tudo como antes no quartel de abrantes. À noite, todos os gatos são pardos! E esse país da carochinha e das bananas continuará a eleger quem paga mais e quem fala mais, em detrimento da cátedra e da postura correta. Está se formando uma revolução social! ONU neles, intervenção já!
 
Full
Full - 30 de Novembro às 16:33
Que gracinha...igual menino fazendo birra....palhaços!
 
edson
edson - 30 de Novembro às 16:21
Onde está a opinião pública ? onde está a força da mobilização que derrubou Dilma e Cunha ? Esta é mais uma etapa contra a roubalheira que deixou o país falido. Vamos nos mobilizar, vamos pra rua, vamos pressionar. Caso contrário, vão continuar roubando a nação brasileira.