SIGA O EM

Polícia joga bombas para dispersar protesto de estudantes contra PECs no Congresso

Logo que se aproximaram da rampa do de acesso à Câmara dos Deputados e ao Senado começaram a ser repreendidos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1089340, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Wilson Dias/Ag\xeancia Brasil', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/29/828217/20161129193548207271u.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 1089341, 'arquivo_grande': '', 'credito': '/CB/D.A Press ', 'link': '', 'legenda': 'Carro da TV Record foi depredado durante protesto ', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/29/828217/20161129185230182294a.jpeg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 29/11/2016 18:03 / atualizado em 29/11/2016 19:51

Marcelo Ernesto

Wilson Dias/Agência Brasil

Protesto em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, na tarde desta terça-feira é repreendido pela Polícia Militar do Distrito Federal. Os estudantes manifestavam desde o meio da tarde, mas quando se posicionaram próximo a rampa de acesso do Congresso Nacional a polícia reagiu com bombas, balas de borracha e gás de pimenta.

Cerca de 12 mil pessoas, segundo os organizadores, participam do ato. A polícia afirma que participam pelo menos 10 mil pessoas. O movimento teve início às 16 horas. Participam estudantes, representantes da CUT, MST, organizações ligadas às universidades federais, como Sintuff e grupos indígenas.

Houve muita fumaça e correria quando as bombas de efeito moral começaram a explodir no gramado do Congresso. Durante a confusão dois carros foram depredados. Um deles ficou com as rodas para cima. O outro, de uma equipe de reportagem da TV Record, também foi danificado.

Ainda durante o ato, outro carro foi queimado pelos manifestantes. A fachada de alguns ministérios, como o Esporte e da Educação, foram danificadas com portas e vidros quebrados. Além de lâmpadas que iluminam a área no entorno dos prédios, paradas de ônibus. Pessoas que apenas aguardavam a confusão terminar também acabram sendo alvo de repressão da polícia.

Para tentar escapar da ação da PM, os manifestantes também fizeram uma barricada com objetos que foram incendiados na avenida próximo à catedral de Brasília.

A ação policial na Esplanada envolve o uso da cavalaria, tropa de choque e bombas de gás. Manifestantes acusam a polícia de ter agredido uma das pessoas que invadiu o espelho d'água do Congresso, o que supostamente teria iniciado o conflito. Outra versão cita que o embate começou após alguns manifestantes terem virado um veículo estacionado nos arredores do Congresso Nacional.

O ato foi organizado por estudantes que participam das ocupações das universidades pelo país afora. Chamado de "Encontro Nacional das Ocupações”, o evento, organizado pelas redes sociais, tem como objetivo de protestar contra a Proposta de Emenda Constitucional nº 55 (antiga PEC 241), Medida Provisória 746 (Reforma do Ensino Médio), Escola Sem Partido. O pedido de saída do presidente Michel Temer (PMDB) também está na pauta dos que protestam.

Além disso, os organizadores ainda afirmam que o ato é contra 'todo cenário político atual com as medidas tomadas pelo governo golpista de Michel Temer e seus aliados, atacando os poucos direitos garantidos aos menos favorecidxs socialmente e que comprometem diretamente o futuro da educação no país”.



Nesta terça-feira, a Câmara dos Deputados começa a votar o pacote com as dez medidas anticorrupção, propostas pelo Ministério Público. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) garantiu que o pacote será votado.

Já no Senado, os parlamentares apreciam a PEC que estabelece limite para os gastos públicos. A sessão chegou a ser interrompida por alguns minutos por causa do protesto, mas o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL) retormou os trabalhos. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600