SIGA O EM

Relator da reforma política defende mudanças no sistema de financiamento

Além do deputado, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), também defendeu mudanças no atual sistema

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1089278, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Leonardo Prado / C\xe2mara dos Deputados', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/29/828185/20161129172341442807o.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 29/11/2016 16:49 / atualizado em 29/11/2016 17:25

Agência Estado

Leonardo Prado / Câmara dos Deputados

O relator da comissão especial de reforma política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT-SP) defendeu nesta terça-feira mudanças nas atuais regras de financiamento de campanha. Na avaliação do relator, o atual modelo, em que se estabeleceu a proibição de doações de empresas privadas, não deve ser mantido nas próximas eleições gerais de 2018.

" Seria uma responsabilidade muito grande deixar que as eleições de 2018 fossem com as regras atuais... têm elogios de algumas medidas [implantadas na eleições municipais deste ano], mas no geral acho que foi mais confusão do que solução. Não dá para imaginar as eleições de 2018 com esse modelo, principalmente no que tange o financiamento de campanha", ressaltou o deputado a participar de evento promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que tratou da reforma política no País.

"Podemos fazer o sistema misto com doações de pessoas físicas, mas a nossa cultura e o momento político não incentiva às pessoas a participarem, a doarem", afirmou o petista.

Além do deputado, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), também defendeu mudanças no atual sistema de financiamento de campanha.

"O sistema atual como está, por maior que tenham tido os benefícios com o barateamento das campanhas, ele trouxe problemas que podem ser corrigidos com um equilíbrio maior, com o mix em torno do financiamento público e privados com limites mais estreitos", defendeu Aécio.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600