SIGA O EM

Apesar de luto oficial, Câmara mantém votação de pacote anticorrupção

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1089270, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Zeca Ribeiro / C\xe2mara dos Deputados', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/29/828173/20161129160447547575u.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 29/11/2016 15:43 / atualizado em 29/11/2016 16:26

Agência Estado

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Apesar do luto oficial decretado por conta do acidente aéreo envolvendo a equipe do Chapecoense, a votação do pacote das medidas anticorrupção está mantida na Câmara.

A sessão no plenário foi aberta por volta das 14h e o projeto é o primeiro item da pauta. Cabe ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciar a abertura da ordem do dia e dar início à votação.

Para ter início a fase de votação é necessário a presença de, pelo menos, 257 deputados no plenário. Por enquanto, há apenas 90 deputados, embora na casa estejam 258.

Após pressão das ruas, os deputados devem deixar de fora a chamada anistia ao crime de caixa 2 eleitoral. Haverá, no entanto, a apresentação de emendas que poderão mudar o texto aprovado na comissão especial na semana passada, como a inclusão de juízes e integrantes do Ministério Público Federal entre os que podem ser processados por crime de responsabilidade. A medida é vista por procuradores como uma retaliação da Casa por conta das investigações da Operação Lava Jato.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Geddy
Geddy - 30 de Novembro às 09:03
Taí, os representantes legítimos dos coxinhas golpistas.
 
Eliane
Eliane - 29 de Novembro às 17:21
Completa falta de respeito e solidariedade com os familiares das vítimas.
 
Marco
Marco - 29 de Novembro às 16:59
Comentários no G1 impossível no dia de hoje... Tentam evitar pressão sobre deputados...
 
Marco
Marco - 29 de Novembro às 16:58
Muito cuidado com as atitudes de "nossos" deputados agora!