SIGA O EM

De atestado médico, servidora da saúde faz tour em Madri

'Tirar fotos todos tiram. Isso não altera em nada minha licença', disse Patrícia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1088914, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o Instagram', 'link': '', 'legenda': 'Post da servidora nas redes sociais durante licen\xe7a m\xe9dica', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/27/827615/20161127161541832372i.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 27/11/2016 15:49 / atualizado em 27/11/2016 16:18

Agência Estado

Reprodução Instagram
Na legenda das fotos, férias com amigas. Oficialmente, licença médica. A coordenadora do Programa de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Patrícia Lima Ferraz, tirou três dias de licença, conjugados com feriado de Finados e o fim de semana para viajar a Madri, para, de acordo com ela, fazer um tratamento de saúde. Ao lado de amigas, no entanto, tirou uma série de fotos em pontos turísticos, depois divulgadas por uma das companheiras de viagem em redes sociais com os dizeres: “Férias 2016”, “Soltas em Madri”.

“Tirar fotos todos tiram. Isso não altera em nada minha licença”, disse Patrícia em entrevista por telefone. A viagem foi feita no dia 1 de novembro à noite, depois do dia de trabalho. O retorno ao Ministério ocorreu na terça seguinte, dia 8.

Integrantes do Ministério da Saúde afirmaram que a viagem por motivos de saúde não foi comunicada à equipe, o que teria provocado transtorno para o andamento dos trabalhos. “O programa conta com técnicos de qualidade. Eles podem perfeitamente desempenhar as funções necessárias”, disse Patrícia. Ela atribuiu as queixas a pessoas contrárias a sua gestão, iniciada há dois meses.

Patrícia é ligada ao PSC do Amapá. Procurado, o Ministério da Saúde afirmou que Patrícia custeou sua viagem. Não informou qual a natureza do tratamento realizado, se o pedido de licença médica foi apresentado por médico brasileiro ou formado no exterior nem mesmo se o pedido foi homologado pelo Ministério da Saúde.

A nota informa que a coordenadora pediu licença para tratamento médico fora do país, custeado com recursos próprios. “Trata-se de uma questão particular que foge totalmente de sua atuação no Ministério da Saúde”, completa a nota.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Renata
Renata - 29 de Novembro às 11:08
Começou bem a "gestão", heim senhorita?
 
paulo
paulo - 29 de Novembro às 07:22
isso é uma boa causa para os que gostam de protesto invadir a secretária de saúde pedindo a demissão dessa safada.
 
walter
walter - 29 de Novembro às 01:40
ai e que esta ,esta gostosona ganha fácil,deve ser daquelas que mete a mão onde não deveria ,enquanto o povo esta a merce da saúde de merda destes governos incompetentes.
 
ricardo
ricardo - 28 de Novembro às 19:12
Cara de Pau !!!!!! A natureza da licença é que é fajuta.... tratamento de saúde de 3 dias conjugados com feriados brasileiros é pilantragem ... usou do artifício pra tentar enganar o chefe, ou seja nós... DEMISSÂO IMEDIATA DA PILANTRA... vá se tratar onde quiser e pelo tempo que quiser mas fora do serviço público,,,,,
 
Full
Full - 28 de Novembro às 14:39
Imagina a desgraça que deve ser um PSC, e do Amapá ainda.
 
Rosenilton
Rosenilton - 28 de Novembro às 12:42
Uma parasita, uma praga, um câncer em uma sociedade, esses seriam os adjetivos mais polidos e educados que poderiam ser dirigidos à essa inútil. Mas aqui tudo pode não é mesmo? Pra ela não vai dar nada porque todos fazem isso, então não podem punir.
 
Joeudes
Joeudes - 28 de Novembro às 09:45
Ela não explicou o tipo de tratamento a que ela se submeteu, vou arriscar. Não seria por acaso (AVC) Ausência de Vergonha na Cara? o mundo político é comum este tipo de sintoma, e ela está inserida neste meio por intermédio do PSC, Partido Sem vergonha na Cara
 
Rosenilton
Rosenilton - 28 de Novembro às 12:42
Uma parasita, uma praga, um câncer em uma sociedade, esses seriam os adjetivos mais polidos e educados que poderiam ser dirigidos à essa inútil. Mas aqui tudo pode não é mesmo? Pra ela não vai dar nada porque todos fazem isso, então não podem punir.
 
Voltaire
Voltaire - 28 de Novembro às 09:26
No país da esculhambação, da corrupção e da pizza, pode tudo. Se matar e roubar pode, pq viajar pra cuidar da saúde não pode? Paremos com a hipocrisia... Ah, e um viva a impunidade!
 
Lúcio
Lúcio - 28 de Novembro às 08:43
Essa servidora que tirou licença médica e viajou para o exterio é mais uma que se aproveita do serviço público e zomba do povo. Demissão já.
 
Valdir
Valdir - 28 de Novembro às 08:29
A Bandidagem acontece em todos os níveis. Ela deveria estar tratando da saúde moral.
 
Ramon
Ramon - 28 de Novembro às 08:18
Brasileira !
 
Thiago
Thiago - 28 de Novembro às 08:09
E ainda fazem manifestação contra a PEC do teto... Lamentável esse ministério que mais adoece o país.