SIGA O EM

Procuradoria-Geral da República estuda incluir Temer em inquérito contra Geddel

Citado pelo ex-ministro da Cultura, presidente Michel Temer também pode ser investigado pela suposta pressão a favor do ministro Geddel Vieira. Pedido de inquérito tem que apresentado ao Supremo Tribunal Federal.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1088558, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Ag\xeancia Brasil/Marcelo Camargo', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/25/826834/20161125085420820633a.jpg', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 25/11/2016 08:55 / atualizado em 25/11/2016 09:00

Estado de Minas

Agência Brasil/Marcelo Camargo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) deve pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) que seja aberto inquérito contra o ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) e estuda incluir o presidente Michel Temer (PMDB) e o ministro Eliseu Padilha (PMDB) no pedido.

Os três foram citados pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero por terem feito pressão para a liberação da construção de um empreendimento imobiliário.

No caso de Geddel, responsável por comandar a Secretaria de Governo e um dos principais articuladores políticos do governo Temer, os investigadores já avaliam haver indícios suficientes para um inquérito. A investigação permitirá a quebra de sigilos do ministro em busca de detalhes sobre sua atuação.

Em depoimento à Polícia Federal (PF), Calero afirmou que Geddel o pressionou a rever uma decisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Iphan, que impede a construção de um empreendimento imobiliário onde o ministro adquiriu um apartamento, em Salvador.

O ex-ministro da Cultura afirmou que Temer também o pressionou e disse que o impasse estava criando problemas para seu gabinete. Por meio de nota, o presidente da República admitiu que discutiu o tema do Iphan em reunião com Calero, mas alega que “buscou arbitrar conflitos entre ministros”.

A PGR não tem prazo para dar seu parecer ao Supremo, que será então analisado pelo ministro responsável, cujo nome ainda não está definido.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Druso
Druso - 25 de Novembro às 11:23
Fora Temer!
 
jose
jose - 25 de Novembro às 10:07
A hora desse bandido golpista vai chegar..... é só esperar........
 
alvaro
alvaro - 25 de Novembro às 10:02
Essa Múmia esta se envolvendo em coisa que não deveria, este suino Geddel, e um tranbiqueiro
 
Geddy
Geddy - 25 de Novembro às 10:24
uai, alvinho coxinha, tá estranhando o quê? Estes golpistas estão lá porque babacas como vc os apoiaram no golpe, otário.
 
Claudia
Claudia - 25 de Novembro às 09:54
O que este cara ainda está fazendo no poder? Gente calma também tem limite, não estão todos vendo que ele é o precursor da corrupção deste governo golpista?