SIGA O EM

Bastidores: Presidência da Câmara vira QG da anistia ao caixa 2

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 23/11/2016 23:37

Agência Estado

Brasília, 23 (AE), 23 - A sala da Presidência da Câmara virou o quartel-general dos líderes da Casa que tentam articular a aprovação de uma emenda para anistiar a prática do caixa 2.

Desde o início da noite desta quarta-feira (23), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está recebendo parlamentares de praticamente todos os partidos para conversar.

O entra e sai de deputados é constante. Com semblantes fechados, a resposta padrão é que eles não sabem o que vai acontecer.

Alguns líderes garantem que o pacote anticorrupção será votado no plenário ainda nesta madrugada, após ter passado pela comissão especial. Outros dizem que ficará muito tarde para concluir a apreciação do texto.

A ideia inicial era que a emenda para livrar os políticos que usaram recursos não declarados em campanhas eleitorais fosse assinada pelos líderes de todos os partidos, exceto da Rede e do PSOL. O PT, no entanto, rachou e não quer assinar o texto. Diante da dissidência, um deputado do PR poderia assumir sozinho a autoria da proposta.

Relatos de deputados que frequentaram o QG é que são muitas as críticas ao relator do pacote das medidas contra a corrupção, Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

O principal ponto de discórdia é que o relator teria apresentado um texto diferente do que o que foi acordado com os líderes. Segundo deputados, Lorenzoni disse uma coisa "a portas fechadas" e, diante das câmeras, para sair como "paladino da moral", mudou de posição.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600