SIGA O EM

Executivos da Odebrecht começam a assinar acordos de delação premiada

Um dos depoimentos mais esperados pelos procuradores é o do ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 19 anos e quatro meses de prisão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1088253, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Heuler Andrey ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/23/826360/20161123200725525800i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 23/11/2016 19:55

Correio Braziliense

Heuler Andrey

Executivos da empreiteira Odebrecht, investigada na Operação Lava-Jato, começaram a assinar nesta quarta-feira (23/11) acordos de delação premiada com a força-tarefa de procuradores que investiga desvios na Petrobras. Os termos dos acordos estão sob sigilo e os detalhes não serão divulgados. Pelo menos 130 políticos de todos partidos fariam parte das denúncias. No mínimo, 20 governadores e ex-governadores também estariam envolvidos. Advogados e delatores de cerca de 60 investigados se encontram na Procuradoria Geral da República.

Delatores e advogados de mais de 60 investigados estão na Procuradoria Geral da República, em Brasília

Um dos depoimentos mais esperados pelos procuradores é o do ex-presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht, condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro na Lava-Jato.

A expectativa é que os depoimentos, nos quais os funcionários devem relatar repasses de propina para políticos, sejam enviados no começo do ano que vem para o Supremo Tribunal Federal (STF), ao qual caberá a homologação das oitivas.

Em março, a Operação Xepa, uma das fases da Lava-Jato, teve a Odebrecht como principal alvo e prendeu diretores e executivos da companhia.

Com informações da Agência Brasil
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600