SIGA O EM

TSE concede prisão domiciliar para Garotinho

Ex-governador foi preso sob acusação de usar programas sociais para comprar votos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1087366, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Vladimir Platonow/Ag\xeancia Brasil', 'link': '', 'legenda': 'Garotinho resistiu \xe0 pris\xe3o e chegou a chutar funcion\xe1rio para n\xe3o ser colocado no ve\xedculo.', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/19/825055/20161119083944677890a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 19/11/2016 06:00 / atualizado em 19/11/2016 12:21

Estado de Minas

Brasília - A ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral, determinou no fim da noite de ontem a transferência do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho para um hospital e, após exames, para prisão domiciliar. Preso pela Polícia Federal sob a acusação de usar programas sociais para comprar votos, ele ficou sozinho em um quarto no hospital desde quarta-feira, quando chegou após ter sido preso e passado mal. Foi submetido a exames que mostraram alterações cardíacas e a equipe médica indicou que ele passasse por um cateterismo.

Vladimir Platonow/Agência Brasil

Na noite de quinta, foi transferido do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio, onde ele não poderia receber o tratamento médico que foi indicado para seu quadro cardíaco. Na decisão, a ministra afirma que não cabe ao juiz avaliar o quadro clínico do ex-governador. Ela diz ainda que o juiz procedeu sem qualquer embasamento técnico-pericial por parte da equipe médica que acompanhava o quadro de saúde de Garotinho. “Atitude, a meu ver, em tudo temerária, ante o risco de gravame à integridade física do custodiado”, diz a ministra na decisão.

Em novo vídeo divulgado pelas redes sociais ontem, Garotinho aparece no quarto do Hospital municipal Souza Aguiar brigando com os policiais federais para que não o levassem para o complexo Prisional de Gericinó, em Bangu. A filha dele, a deputada federal Clarissa Garotinho, ainda tentou pedir ao pai para que parasse. A prefeita de Campos, no Norte Fluminense, Rosinha Garotinho, postou uma mensagem de apoio ao marido, em seu perfil no Facebook: “Keep calm (mantenha a calma) porque Jesus está no barco”.

Após determinação da Justiça, Garotinho foi levado, esperneando e aos berros, para para o presídio José Frederico Marques, no Complexo de Bangu. Uma ambulância dos Bombeiros, acompanhada de policiais federais, pegou o ex-governador no Souza Aguiar, onde estava internado desde ontem após passar mal na superintendência da Polícia Federal. Mais cedo, Cabral foi encaminhado para Bangu 8, onde ficam os presos com ensino superior. Garotinho saiu reclamando com os policiais responsáveis pela transferência de que corre riscos ao ser colocado junto com bandidos em Bangu. “Vocês estão de sacanagem. Querem me matar, porra!”, gritou, acrescentando que foi o responsável pela prisão de grandes traficantes que estão em Bangu.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
jose
jose - 19 de Novembro às 10:49
Uma família de bandidos evangélicos que se escondem atrás de religião para conseguir benefícios próprios... quando será que o povo vai aprender a escolher melhor seus representantes?