SIGA O EM

´Pode me matar, mas eu não vou´, disse Garotinho ao ser preso pela PF

Em gravação que vazou na internet, ex-governador alega que em Bangu estão vários bandidos presos durante seu governo e que estão 'doidos' para matá-lo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 18/11/2016 12:22 / atualizado em 18/11/2016 13:33

Isabella Souto /

 

 

Ao ser preso pela Polícia Federal sob a acusação de crime eleitoral, o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho bateu boca com os policiais e disse ter medo de morrer.


Em gravação de áudio que vazou na internet, Garotinho diz a agentes que não vai para Bangu porque estão lá bandidos quem ele mandou prender.

“Eu não vou. Diz aí que tem um monte de gente presa lá e foi tudo eu que botei na cadeia”, grita o ex-governador. “Estão doidos para me levar para lá para me matar”, continuou. “Pode me matar mas eu não vou”.

Os gritos de Garotinho são abafados por um agente, que diz a ele não ter escolha, pois foi preso por uma ordem judicial.

“O senhor vai por bem ou vai na marra. A opção é sua”, responde o policial.

Respeito


Garotinho também reagiu ao ser transferido do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, para Bangu. Acompanhado da mulher, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, e da filha e deputada federal Clarissa Garotinho, o ex-governador entrou na ambulância gritando para que não o levassem e pedindo respeito, “porque era um homem enfartado”.
“Me solta, me solta. Eu sou um enfartado. Vocês me respeitem”, gritou com a voz bem rouca num vídeo que o mostrou relutando na maca para não entrar na ambulância.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600