SIGA O EM

Deputados se desentendem no plenário da Assembleia e precisam ser contidos

Os parlamentares começaram nesta quinta-feira a discutir o parecer da CCJ que nega seguimento ao processo contra Fernando Pimentel (PT)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1086963, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Ricardo Barbosa /ALMG\n ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/11/17/824643/20161117175140455664e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 17/11/2016 17:37

Isabella Souto /

Ricardo Barbosa /ALMG

O clima esquentou na tarde desta quinta-feira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) durante a discussão do relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que nega ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) a abertura de processo contra o governador Fernando Pimentel (PT) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Os deputados Sargento Rodrigues (PDT), da oposição, e Agostinho Patrus (PV), que pertence ao bloco independente mas tem se manifestado a favor de Pimentel, quase saíram no braço, mas foram impedidos pela turma do "deixa disso".

Tudo começou quando sargento Rodrigues disse na tribuna que havia deputados na Casa que eram governistas durante a gestão do PSDB e agora defendem o PT em troca de benesses, como a liberação de recursos de emendas e cargos no governo.

Aí começou o bate-boca, que terminou com o pedetista descendo da tribuna para enfrentar Agostinho Patrus.

Rodrigues alega que o colega disse a ele palavras de baixo calão e foi desafiado a descer. Já Agostinho negou, dizendo que o deputado do PDT vem tentando intimidar os colegas para votar contra o governador.
Muito nervoso, Agostinho Patrus foi retirado do plenário e levado para a sala privativa dos deputados, onde recebeu atendimento médico.

Mais tumulto


Outra confusão aconteceu entre o deputado Paulo Guedes (PT) e o empresário Reinaldo Quintela, que acompanhava a reunião da galeria. O parlamentar reclamou que o empresário ameaçou agredí-lo e, por isso, prestou queixa contra ele na Polícia Legislativa.

O empresário depôs aos policiais da Casa e negou que tenha provocado o parlamentar, mas afirmou que sempre participa das reuniões para acompanhar os trabalhos da Casa e que luta contra a corrupção. "Estou indignado porque a Casa está defendendo um governador que é acusado de corrupção", disse.

O deputado alega que desde essa quarta-feira vem sendo agredido na Casa, e hoje, ao final da sessão, o empresário disse que ele teria apanhado pouco ontem e hoje apanharia de novo.

Ontem, Paulo Guedes afirma ter sido agredido com pauladas por manifestantes que estavam na Assembleia. "Estou representando contra ele em defesa da democracia", afirmou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600