SIGA O EM

Alexandre Moraes afirma que há erro em levantamento sobre uso de aviões da FAB por ministros

Segundo levantamento, o Ministro da Justiça seria o recordista de translados entre Brasília e São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 12/11/2016 09:19 / atualizado em 12/11/2016 10:15

Agência Estado

São Paulo - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou nesta sexta-feira (11/11) que a reportagem sobre o uso de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) por ministros para realizar deslocamentos pelo país durante os cinco meses da gestão Michel Temer “é absurdamente errada”. Segundo levantamento da reportagem, Moraes é o campeão de viagens e o recordista de translados entre Brasília e sua cidade de origem, São Paulo.

“A matéria do Estado de S. Paulo é absurdamente errada. 100% das minhas viagens foram para questões oficiais. O problema é que o jornal não considerou, e a metodologia é totalmente errada”, disse Morares, em entrevista na sede da Delegacia-geral de Polícia em São Paulo, durante reunião do conselho nacional dos chefes de polícia.

De acordo com o levantamento, o ministro viajou 85 vezes de avião da FAB nesses cinco meses de gestão Temer, sendo que 64 delas tinham como destino ou origem a capital paulista. Em 46 ocasiões, não há justificativa na sua agenda para as viagens nem compromissos oficiais que expliquem por que em dias de semana o ministro opta por sair de São Paulo para um evento em outro Estado, e não de Brasília. Ao menos 14 vezes Moraes fez o trajeto Brasília-São Paulo numa segunda-feira.

“Viagens que eu fiz ao Rio, sendo que no período da Olimpíada, oficialmente a pedido do presidente, eu mudei a sede do gabinete para o Rio, fiquei na sede da Polícia Federal”, diz o ministro. “Da mesma forma, não foram contabilizadas as viagens de volta. Por exemplo, hoje (ontem) eu vim para São Paulo para um compromisso oficial. Eu preciso voltar para Brasília e a volta não foi contabilizada”, afirmou Moraes.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600