SIGA O EM

Escolas ocupadas em Minas vão abrigar também votação no próximo domingo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 27/10/2016 06:00 / atualizado em 27/10/2016 07:37

Alessandra Mello

As oito escolas ocupadas por estudantes (sete na capital e uma em Juiz de Fora) – em protesto contra a reforma do ensino médio e o congelamento dos gastos públicos – que abrigam seções de votação nesse segundo turno não serão desocupadas. A decisão foi tomada ontem em uma reunião entre representantes da Justiça Eleitoral, do Ministério Público e do movimento estudantil. Elas receberão normalmente os eleitores no domingo, data da votação do segundo turno nas duas cidades.

Haverá a delimitação do local de mobilização dos estudantes no sábado e domingo do segundo turno, para não atrapalhar o fluxo dos eleitores e dos servidores da Justiça Eleitoral que chegam um dia antes para preparar o local.

Ao todo, segundo a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), são 70 escolas ocupadas em 20 cidades mineiras, oito delas em Belo Horizonte. Também há escolas ocupadas em Montes Claros e Contagem, cidades onde também terá segundo turno, mas nenhuma delas é local de votação.

Na reunião também ficou decidido que até o fim das eleições não serão ocupadas outras escolas que sediarão locais de votação. A presidente da União Colegial de Minas Gerais (UCMG), Kessia Teixeira, disse que os estudantes serão orientados a respeito da legislação eleitoral que veda manifestação política partidária e boca de urna no dia da votação. “Vamos respeitar a legislação eleitoral no dia da votação”. Segundo ela, as escolas deverão permanecer ocupadas por tempo indeterminado.

Uma das escolas ocupadas é a Estadual Milton Campos, onde votam os candidatos Alexandre Kalil (PHS) e João Leite (PSDB). Também estão ocupadas as escolas Santos Dumont, Maria Carolina Campos, Geraldina Ana Gomes e Juscelino Kubitschek de Oliveira, na região de Venda Nova; a Escola Estadual Ari da Franca, no Bairro Santa Mônica; e a Escola Estadual Professor Ricardo Souza Cruz, no Bairro Caiçara.

No Paraná, onde cerca de 850 escolas estão ocupadas, a Justiça Eleitoral teve que transferir os locais de votação para outros estabelecimentos de educação e prédios públicos.



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600