SIGA O EM

Nova rodada de farpas

Durante compromisso de campanha, candidatos ao comando de BH João Leite e Alexandre Kalil trocam acusações sobre alianças e apoio na eleição do prefeito Marcio Lacerda em 2008 e 2012

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[]

postado em 18/10/2016 06:00 / atualizado em 18/10/2016 07:27

Juliana Cipriani /

O apoio ao então candidato a prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB), na eleição de 2008, foi motivo de troca de farpas entre João Leite (PSDB) e Alexandre Kalil (PHS), que disputam o comando da capital no segundo turno. Durante campanha ontem, o tucano afirmou que o que o diferencia do adversário, em relação a ambos terem apoiado Lacerda, é a presença do PT na campanha. O tucano disse que, naquele ano, quando o PSDB se uniu ao PT para eleger o socialista, ele não participou da aliança.


“Tive até um encontro com o Marcio Lacerda, que quis me ouvir, e disse ‘lamento, te respeito, mas não subirei em um palanque em que estiver Pimentel (governador Fernando Pimentel)’. Hoje, mantenho essa posição na Assembleia, como opositor a Pimentel”, afirmou o candidato, que é deputado estadual.

Na reeleição de Lacerda, em 2012, João Leite disse ter acompanhado a posição do partido. “Mas estava comigo o outro candidato”, disse, se referindo a Kalil. O tucano cita o vídeo exibido por sua campanha na TV, no qual Kalil pede os votos dos atleticanos para Marcio Lacerda. “Essas são as contradições, não é mesmo?”, questionou. O vídeo é uma resposta a Kalil, que, antes, veiculou em seu programa na TV outra gravação em que o senador Aécio Neves (PSDB) aparece ao lado de Fernando Pimentel pedindo apoio a Lacerda.

Quando perguntado se teria se arrependido de apoiar Lacerda, o candidato do PSDB, que hoje adota um tom de rompimento com o prefeito, disse apenas que sua posição foi muito clara. “No primeiro turno (primeira eleição de Lacerda), quando estava o Pimentel, eu não apoiei, como agora também estou do outro lado. O Pimentel está do outro lado junto com o PT e eu do outro lado”, afirmou.

Ao comentar o vídeo da campanha tucana, Alexandre Kalil, por sua vez, afirma que errou ao ter apoiado a reeleição de Lacerda, na eleição passada. Ao visitar uma cooperativa de reciclagem de lixo, a Copersol, na Região Leste, o candidato disse que ajudou na campanha do socialista porque Aécio e o também senador Antonio Anastasia (PSDB) se “ajoelharam” aos seus pés pedindo um apoio que ele não queria dar. “A gente erra, agora, eu não minto, não fico esculhambando os outros e quando me interessa fico dando beijinho”, afirmou o ex-presidente do Atlético.

Também perguntado se estaria arrependido do apoio a Lacerda, Kalil disse que essa não foi a única bobagem que ele fez na vida. “Me arrependo de um monte de coisa”, disse. O candidato disse que entre as bobagens que não fez estão pendurar em cabide de emprego público, roubar, ser acusado por furto e sujar a mão com dinheiro que não é dele. “Agora, essa de apoiar quem eu não devia é só uma das besteiras que já fiz na minha vida”, afirmou.

Campanha Em agenda de campanha ontem, João Leite disse que o que lhe dá mais satisfação são as pessoas discutindo plano de governo com ele nas ruas. O tucano se reuniu com representantes da cultura em Belo Horizonte e prometeu valorizar e estimular as manifestações culturais. “Ninguém pode ser contra a cultura e eu muito mais. O tempo todo gosto de conversar sobre arte, uma das matérias fundamentais do historiador é a arte, a cultura”, disse.

Já Alexandre Kalil afirmou, em conversa com funcionários da cooperativa de reciclagem de lixo, que a PBH tem o dever de apoiá-los, pois eles prestam serviço à população. O ex-cartola disse ter um projeto de criar uma escola de reciclagem para melhorar a tecnologia do serviço na capital. Kalil criticou o serviço de coleta que, segundo ele, quando pega material que pode ser reciclado mistura de novo no caminhão.

Kalil no EM

O candidato à Prefeitura de BH pelo PHS, Alexandre Kalil, estará hoje na redação do Estado de Minas, onde, a partir das 15h, responderá ao vivo a perguntas dos eleitores. O internauta que quiser fazer algum questionamento ao ex-presidente do Atlético deve usar a hashtag #kalilnoem.

 

 

Tags: eleicoes2016
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600