SIGA O EM

Em companhia de Lacerda, Délio diz que PBH seguirá investindo para acabar com enchentes

O prefeito da capital disse que as obras do tratamento das bacias do ribeirão Arrudas e do Onça são grandes e por isso demandam tempo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1066283, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Edesio Ferreira/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/08/22/796223/20160822191733302942i.JPG', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 22/08/2016 15:05 / atualizado em 22/08/2016 19:18

Juliana Cipriani /

Edesio Ferreira/EM/D.A Press

Ao lado do seu padrinho político, o prefeito Marcio Lacerda, o vice-prefeito Délio Malheiros (PSD), que agora tenta ocupar a cadeira de titular no Executivo municipal, visitou na manhã desta segunda-feira a Avenida Bernardo Vasconcelos, na Região Nordeste da capital, uma das que mais sofrem com enchentes no período de chuvas. Lacerda e ele prometeram continuar as obras para evitar as inundações que atingem a população no entorno do local.

Délio disse que a PBH tem uma grande obra prevista para a Bacia do Onça, que vai ser licitada nos próximos dois ou três meses, cuidando da região da Pampulha até a Avenida Cristiano Machado. Questionados sobre o fato de, em oito anos, a atual administração não ter resolvido o problema, Lacerda tomou a palavra e afirmou que trata-se de um projeto grande que pode custar até R$ 700 milhões e inclui fazer um parque linear no onça, que seria a parte mais cara. “A questão específica de enchente, a licitação para atacar o problema nos córregos da Pampulha e do Onça, nossa meta é lançar já em setembro”, disse.

Na sequência, o prefeito disse que BH tem 700 quilômetros de córregos e pequenos rios. Segundo ele, a cidade foi planejada de forma inadequada e hoje a população paga “um pouco de preço por isso quando temos uma chuva muito forte”. O socialista disse que também será licitada a bacia de contenção do Bairro das Indústrias. Segundo ele está nas mãos da Caixa Econômica Federal um projeto do córrego Leitão. “São projetos complexos não podemos errar, temos que prever o que a natureza pode fazer nos próximos 10, 30, 50 anos. Realmente a cidade terá que continuar investindo muitos anos e nunca terá a garantia total de que o assunto de inundação poderá ser resolvido”, afirmou.

Délio também prometeu continuar investindo Umeis (unidades de educação infantil) e continuar todas as obras da prefeitura. Segundo ele, a 500 metros da avenida a região ganhará um centro de convenções, tem a rodoviária e vai ter a conexão da região Nordeste à Leste pela Via 710. “Temos um conjunto de obras para aqui”, disse.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Alex
Alex - 22 de Agosto às 23:01
Será que este Délio acha que a presença do Hitler comedor de pão de queijo ajuda? Este não tem o meu voto nunca, quem anda com este Lacerda pra mim não presta!!
 
Diego
Diego - 22 de Agosto às 17:18
Se por um lado eu não sei em quem votarei, já sei em quem não vou votar de maneira nenhuma. Moro na Avenida da reportagem e sofremos com as chuvas há anos no local. Se ele diz que vai manter a política atual, não merece o meu voto. Meu sócio e eu perdemos tudo já com enchentes e se o Prefeito e o vice acham que está tudo bem, estão enganados.