SIGA O EM

Dez deputados da Assembleia de Minas disputam as eleições municipais

O número corresponde a 12,9% dos 77 parlamentares da Casa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1065579, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Jefferson Veloso/ALMG\n ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2016/08/17/794935/20160817154240271774a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 17/08/2016 15:33 / atualizado em 17/08/2016 20:07

Marcelo Ernesto

Jefferson Veloso/ALMG

Diferentemente da Câmara Municipal de Belo Horizonte em que apenas três vereadores não estão concorrendo à reeleição, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais apenas 10 deputados vão disputar o pleito deste ano. O número corresponde a 12,9% dos 77 parlamentares da Casa.

Dos que se animaram em concorrer nas eleições municipais, a maioria absoluta vai em busca de vaga no Executivo. São oito disputando cargos de prefeito e dois figuram como vices. Mesmo assim um deles, o deputado Paulo Lamac (Rede), chegou a ser lançado como candidato à Prefeitura de Belo Horizonte, mas depois mudou de ideia e se tornou vice na chapa de Alexandre Kalil (PHS). O outro que compõem chapa é Vanderlei Miranda (PMDB) Vice-prefeito de Rodrigo Pacheco (PMDB).

Disputam as eleições municipais como candidatos a prefeito em Belo Horizonte os deputados Sargento Rodrigues (PDT) e João Leite (PSDB). Já Wander Borges (PSB) concorre em Sabará e Ivair Nogueira (PMDB), cidades na região metropolitana.

No interior tem ainda o deputado Antônio Lerin (PSB) que concorre em Uberaba (Triângulo Mineiro) e Celinho do Sinttrocel (PCdoB) em Coronel Fabriciano (Vale do Rio Doce).

Juiz de Fora, na Zona da Mata também tem dois parlamentares na disputa. Lafayette de Andrada (PSD) e Noraldinho Júnior (PSC).
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Marcelo
Marcelo - 17 de Agosto às 17:15
Podem fazer o que quiserem. Tirar licença, pagar pelo voto, fazer promessas. Não voto mais em ninguém neste Pais de bandidos e golpistas. Pra que votar, se meu voto á anulado?