SIGA O EM

Aécio diz que fiscalizará ações do governo e acusa PT de usar "infâmia e mentira"

O tucano usou um vídeo para fazer as críticas e definir sua posição crítica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 746002, 'arquivo_grande': '', 'credito': ' Leandro Couri/EM/D.A Press', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2014/10/29/584703/20141029170418320549a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': None}]

postado em 29/10/2014 12:19 / atualizado em 29/10/2014 17:05

Agência Estado

 Leandro Couri/EM/D.A Press

Depois de ser derrotado no segundo turno das eleições presidenciais do último domingo,  o senador Aécio Neves (PSDB-MG) divulgou um vídeo nas redes sociais dizendo que tem recebido centenas de milhares de manifestações de todo o Brasil, a maioria delas de enorme tristeza pela resultado das eleições, que deu à presidente Dilma Rousseff (PT) o segundo mandato consecutivo. E argumentou que disputou uma eleição desigual, "com o outro lado usando a máquina pública, a infâmia e a mentira."

Depois das críticas, o tucano disse que aconteceu algo extraordinário neste pleito. "O Brasil acordando e as pessoas indo para as ruas para serem protagonistas da construção do seu próprio destino e esta é a maior força que temos hoje, a união para fiscalizar as ações deste governo e cobrar os resultados", disse, emendando que os seus eleitores podem ficar tranquilos porque ele estará "vigilante e atento" para que cada compromisso de campanha de Dilma seja cumprido. "Senão, será denunciado", reiterou.

No final, agradeceu os votos que recebeu e citou o falecido governador Eduardo Campos: "Não vamos desistir do Brasil" e o seu avô, o ex-presidente Tancredo Neves: "Não vamos nos dispersar." E disse que a força das urnas da oposição nesta campanha é a que vai fazer o Brasil mudar.