SIGA O EM

Richa defende investigações 'até o fim' sobre Petrobras

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2014 15:49 / atualizado em 26/10/2014 15:27

Agência Estado

Curitiba- O governador reeleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), acredita em uma vitória do candidato de seu partido à Presidência, Aécio Neves, mesmo com números desfavoráveis nas pesquisas eleitorais. Richa, que votou pela manhã no Colégio Estadual Amâncio Moro, em Curitiba (PR), também pediu "investigações até o fim" sobre o escândalo envolvendo a Petrobras.

"Cada dia vemos uma nova denúncia, um novo escândalo que nos deixam arrepiados. Nunca vimos na história da República uma quantidade de denúncias, denúncias graves que permeiam todos os cantos desse governo. É importante que haja investigação isenta, é o que os brasileiros esperam", afirmou. "O que estamos vendo é denúncia gravíssima, não apenas o diretor da Petrobras, mas também esse doleiro; ambos fizeram o acordo de delação premiada e sabemos o quanto esse acordo é rigoroso, qualquer dissimulação, mentira, fato que não seja verdadeiro eles pagam um preço muito caro e estão trazendo à tona grandes denúncias que possivelmente vão colocar mais algumas pessoas na cadeia", disse.

Sobre um possível envolvimento de políticos do PSDB no escândalo envolvendo o Laboratório Labogen, que usava recursos aplicados por Alberto Youssef, Richa disse que não há provas sobre isso.

"Ele, que eu saiba, não disse nome; não defendo proteção a este e intensificação de investigação a outro, acho que todos que têm denúncias com provas, indícios, devem ser investigados, sim. Temos que definitivamente passar este país a limpo para que os brasileiros possam acreditar de novo em seus políticos, seus representantes, acreditar nesse país, enfim", comentou. "Mas o próprio doleiro, pelo que ouvi do depoimento há cerca de uma semana, desmente declarações de que o ex-presidente do PSDB (Sérgio Guerra) estaria envolvido, inclusive desafia para uma acareação mostrando que não houve envolvimento algum do líder do nosso partido", disse.

Quanto à uma possível eleição de Aécio, Richa comentou que a relação do estado com a União será muito melhor. "Ele assumiu publicamente o compromisso de ajudar o Estado, trabalhar dobrado pelo Paraná, para compensar quatro anos de perseguição. Essa discriminação é uma ofensa aos paranaenses. Então, por todas essas razões, o Paraná terá um tratamento especial do governo federal com Aécio Neves presidente", comentou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600