SIGA O EM

Veja as frases que marcaram campanha presidencial 2014

Ataques dominaram a campanha presidencial, considerada a mais acirrada de todos os tempos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2014 06:00 / atualizado em 26/10/2014 08:07

Jorge Macedo - especial para o EM

Vera Schmitz

Euler Junior/EM/D.A Press
Jefferson Bernardes/AFP

Trocas de farpas e ataques em tom agressivo marcaram a campanha presidencial, já apontada como a mais acirrada de todos os tempos no Brasil. Nas redes sociais, em entrevistas e, principalmente nos debates, onde houve confrontos diretos, os candidatos à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), que busca a reeleição, subiram o tom e não mediram palavras para acusar ou rebater acusações sobre diversos temas. Corrupção, baixo crescimento da economia e programas sociais dominaram os embates, que se intensificaram no segundo turno, logo que se confirmou a reedição da disputa entre tucanos e petistas.

“Governo novo, equipe nova, não tenham dúvida disso"
n A empresários em Belo Horizonte, 3/9

“Eu acho um verdadeiro escândalo querer acabar com ministérios
n Em visita à Central Única de Favelas (Cufa), no Rio de Janeiro, 15/9

“Em qualquer empresa pode haver malfeitos. O que tem que fazer é investigar. Quem não investiga não descobre”
n Em visita à Central Única de Favelas (Cufa), no Rio de Janeiro, 15/9

“Tem alguns momentos em que eu acredito que o senhor nega a realidade. Vocês tiveram a capacidade de colocar o Brasil de joelhos diante do Fundo Monetário Internacional”
n Em debate da Rede Globo, o último no primeiro turno, 3/10

“Os governos do qual o senhor era líder quebraram o país três vezes”
n Em debate da Rede Globo, o último no primeiro turno, 3/10

“A luta continua e será mais uma vez vitoriosa porque é luta da maioria do povo”
n Em discurso aos miliantes após a confirmação do segundo turno

“Compare a minha recessão com a dele. Compare os ‘monstros do passado’ com o que está acontecendo no meu governo”
n Em entrevista coletiva em Brasilia, 6/10

“Desconfio que os investidores podem fazer tudo, mas não ganham uma eleição. Quem ganha e vota no Brasil chama-se povo brasileiro”
n Em entrevista coletiva em Brasilia, 6/10

“O povo brasileiro não quer de volta aqueles que trouxeram o racionamento de energia”
n Pelo Twitter, 6/10

“Meu adversário do PSDB tem uma mania: tudo o que nós fizemos que deu certo ele diz que continuará fazendo, e melhor”
n Pelo Twitter, em 9/10

“Acho muito estranho e muito estarrecedor que no meio de uma campanha eleitoral façam esse tipo de divulgação (depoimentos do ex-diretor da Petrobras). Que não se use isso de forma leviana em períodos eleitorais e de forma incompleta”
n Após reunião com assessores, em Brasília, 10/10

“É bom lembrar que o Aécio também governou Minas. Agora é tentar entender porque ele foi menos votado no estado que já governou”
n Pelo Twitter, 14/10

“Nem eu, nem o senhor estamos além da suspeita. Todos os dias, nós vamos ter de provar a nossa integridade e a nossa honradez, candidato”
n Em debate no SBT, 16/10

Estamos disputando essas eleições contra um grupo que utiliza o dinheiro sujo da corrupção para se manter no poder”
n  Pelo Facebook, 6/9

“O Brasil, meus amigos, não pode virar o país do vale-tudo do ‘eu não sabia’ a cada novo escândalo. Corrupção, imoralidade, abuso, desrespeito, são inaceitáveis”
n  Último programa do horário eleitoral na TV no primeiro turno, 2/10

“A senhora acaba de nos brindar com uma pérola: ‘A inflação está sob controle’. Provavelmente a senhora considera também adequado o crescimento do Brasil durante seu mandato”
n  Em debate da Rede Globo, o último no primeiro turno, 3/10

"A Petrobras deixou há muito tempo as páginas de economia, para ficar nas páginas policiais"
n Em debate da Rede Globo, o último no primeiro turno, 3/10

“Esse sentimento de mudança, amplamente presente em todo o Brasil, já foi vitorioso no primeiro turno.
n  Em discurso aos miliantes após a confirmação do segundo turno, 5/10

“O castelo de cartas em que se transformou o PT está desabando”
n  Pelo Twitter, 9/10

“A presidente deu uma declaração de que acha estarrecedor o vazamento desses depoimentos (do ex-diretor da Petrobras). Eu considero estarrecedores esses depoimentos”
n  Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, em 10/10

“Estamos vendo uma candidata desesperada, à beira de uma crise, à beira de um ataque de nervos”
n Em Aparecida, 12/10

“Só existem duas alternativas: ou a senhora foi conivente ou a senhora foi incompetente para cuidar da maior empresa pública brasileira”
n Na TV Bandeirantes, primeiro do segundo turno, 14/10

“Nós não temos que ter essa preocupação em sermos donos de determinado programa. Estes programas são das pessoas, são dos brasileiros”
n Em debate na TV Record, 19/10

“A candidata afirma que seu governo gerou mais emprego do que o meu. Mas eu não governei, candidata, pelo menos não ainda”
n Em debate na TV Record, 19/10

“Estou muito confiante no grande movimento de mudança que está espalhado pelo país. Eu tenho certeza que essa mudança me dará a vitória no domingo”
n 23/10, em coletiva no Rio de Janeiro

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600