SIGA O EM

Governo pede que PF investigue boatos eleitorais sobre o Bolsa Família

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS)informou ainda que a associação do Bolsa Família a qualquer candidato, partido político ou coligação é proibida e está expressa em normas e regras repassadas aos gestores do programa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/10/2014 20:23

Estado de Minas

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) pediu neste sábado à Polícia Federal que investigue a veiculação, nas redes sociais e por SMS, de mensagens com boatos eleitorais sobre a continuidade do Programa Bolsa Família.

As mensagens, denunciadas pelo PSDB na última semana, vinculam a possível eleição do candidato Aécio Neves ao fim do Bolsa Família e são assinadas pelo governo federal.

“Algumas postagens utilizam o nome do governo federal como sendo autor da mensagem, o que constitui crime previsto na legislação vigente”, diz a nota divulgada pelo ministério. “O MDS repudia veementemente toda e qualquer iniciativa de uso eleitoral do Programa Bolsa Família e do Cadastro Único. Os transgressores estão sujeitos às penalidades previstas em lei”.

De acordo com o ministério, responsável pela execução do programa, a Advocacia-Geral da União também foi acionada para tomar as medidas cabíveis.

O MDS informou ainda que a associação do Bolsa Família a qualquer candidato, partido político ou coligação é proibida e está expressa em normas e regras repassadas aos gestores do programa nos 5.570 municípios do país antes e durante o período eleitoral.

O calendário de pagamento do Bolsa Família no mês de outubro não foi alterado. Atualmente, o programa beneficia 13,9 milhões de famílias, cerca de 50 milhões de pessoas.

 Com Agência Brasil
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.