SIGA O EM

Debate deve reduzir porcentual de indecisos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/10/2014 11:07 / atualizado em 25/10/2014 11:56

Agência Estado

São Paulo - O último debate entre os dois candidatos à presidência, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), promovido na noite dessa sexta-feira pela TV Globo, deve reduzir o porcentual de eleitores indecisos nas pesquisas deste sábado, avalia a socióloga e especialista em pesquisas eleitorais, Fátima Pacheco Jordão. "Até ontem, segundo as pesquisas Datafolha e Ibope, ainda havia uma parcela de cerca de 15% de pessoas que declaravam poder votar em qualquer um dos dois candidatos. O debate de ontem teve uma audiência recorde, o que mostra que os eleitores buscavam informações para tomar uma decisão", afirmou.

Ainda segundo ela, a melhora do nível de discussão entre os presidenciáveis também pode contribuir para a formação de opinião do eleitorado. Para Fátima, na comparação com os debates anteriores realizados pela TV Bandeirantes e pelo SBT, o tom dos candidatos foi mais equilibrado na noite de ontem. "O provável impacto em relação à parcela de indecisos, porém, deve ocorrer menos por causa dos conteúdos e mais pelo próprio interesse dos eleitores", disse ela.

De maneira geral, a socióloga disse acreditar ter havido um "empate" entre Aécio e Dilma no debate. No entanto, no que diz respeito aos dois blocos em que os candidatos responderam a questões de eleitores indecisos, Fátima aponta uma vantagem ao tucano. "Nestes dois segmentos, o candidato Aécio conseguiu se explicar melhor, em uma linguagem mais direta e próxima do eleitor", explicou. Segundo ela, por ter apresentado uma estratégia mais eficaz nestes blocos, é possível que o candidato do PSDB se beneficie disso nas pesquisas.

A especialista destacou ainda que o conteúdo do debate esteve muito atrelado ao tema corrupção. Logo na primeira pergunta, Aécio Neves abordou a atual presidente sobre reportagem da revista Veja, que alega que Dilma e o ex-presidente Lula sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Na avaliação da socióloga, além do debate, a própria denúncia em si também pode ter um impacto sobre as pesquisas de intenção de voto que serão divulgadas hoje. "Há uma parcela de eleitores que vai buscar informações para decidir (o voto) neste momento, na véspera e no dia das eleições", disse.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.