SIGA O EM

Em BH, Aécio reforça compromissos e diz que "propostas vão vencer ataques"

O tucano participa ainda nesta quarta-feira de comício na Praça da Estação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/10/2014 17:22 / atualizado em 22/10/2014 17:45

Marcelo Ernesto , Flávia Ayer

Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, respondeu aos ataques recentes do PT em coletiva nesta quarta-feira em Belo Horizonte. O tucano reforçou compromissos que vem sendo questionados pela campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) e garantiu a continuidade de programas sociais como o Bolsa Família, a valorização dos bancos públicos, o compromisso com os funcionários de carreira. O candidato ainda destacou que “tem um com promisso pessoal” com o empenho em alterar o fator previdenciário para não punir os aposentados. “As propostas vão vencer os ataques”, afirmou.

"Essa campanha está sendo marcada pela infâmia. Há jornais apócrifos dando a ideia de que poderíamos ir na direção da privatização", disse o tucano em coletiva. Aécio Neves cumpre agenda nesta quarta-feira em Belo Horizonte. No começo da noite ele participa de um comício na Praça da Estação, no Centro da capital. Aécio anunciou que fechará sua campanha em ato na cidade de São João Del Rei, Região do Campo das Vertentes.

Aécio lamentou também a postura do ex-presidente Lula, crítico ferrenho de sua candidatura. "Lamento que um ex-presidente se permita cumprir papel tão inexpressivo. Só quem perde com isso é ele", disse.

Mais uma vez, Aécio reiterou o baixo nível da campanha presidencial. "Esta é a campanha da mentira", afirmou Aécio, que citou o fato de a votação do PSDB sobre o salário mínimo ter sido editada pela campanha adversária. "Vamos manter a política de reajuste real do salário mínimo até 2019". Ainda sobre os ataques que afirma sofrer da campanha de Dilma, ele comentou que espera o que as pessoas “respondam nas urnas essas calúnias que aí estão”.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.