SIGA O EM

Professores e Sartori brigam antes da eleição

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/10/2014 12:31 / atualizado em 21/10/2014 13:03

Agência Estado

Porto alegre - O candidato do PMDB ao governo do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, e o Sindicato dos Professores do Estado (Cpers) entraram em rota de colisão antes da eleição, no início desta semana. O mal-estar foi provocado por um comentário, pinçado de uma entrevista ao portal de notícias Terra, no qual Sartori sugere que o piso pode ser buscado em uma loja, associando uma reivindicação da categoria, o salário-base, a revestimentos para o chão de residências e áreas comerciais. O sindicato reagiu emitindo nota de repúdio e afirmando que o tema não deveria ser objeto de chacotas e brincadeiras.

"Se é o piso, vai lá na Tumelero (rede de lojas de materiais de construção), que eles te dão um piso melhor. Ali o piso é bom", diz Sartori, no trecho que partidários de Tarso Genro (PT), candidato à reeleição, propagaram pelas redes sociais. O Cpers, que critica o atual governo por não fazer do piso nacional a base salarial e só chegar ao valor mediante o pagamento de abonos, reagiu. "Esse tema não deve ser objeto de chacota ou brincadeiras por conta de quem tem a responsabilidade de propor alternativas para qualificar a nossa educação e valorizar o trabalho dos professores e de todos os trabalhadores em educação", afirmou o sindicato, em nota. "Estivemos mobilizados nos últimos quatro anos para exigir do atual governo o cumprimento da Lei do Piso e seguiremos mobilizados no próximo governo, seja ele quem for", advertiu.

Diante da repercussão do caso na internet, a campanha de Sartori também se manifestou por meio de nota, na qual lembra que o candidato é professor e que o trecho de 27 segundos foi retirado do contexto no qual ele fazia referências às promessas não cumpridas de pagamento do piso nacional dos professores. "Sartori pede desculpas por qualquer mal-estar causado, reforçando o respeito que tem pelos professores e lembrando que quem não respeita o magistério é o candidato Tarso, do PT, que assinou a lei e não cumpre ao não pagar o piso aos professores", destaca o texto.

A pesquisa de intenção de votos mais recente, feita pelo Ibope no período de 14 a 16 de outubro e divulgada pelo jornal Zero Hora no sábado, 18, aponta favoritismo de Sartori parta vencer a eleição. O candidato do PMDB teve 52% da preferência dos 1.008 entrevistados, correspondente a 60% dos votos válidos, enquanto Tarso ficou com 34% (40% dos válidos). A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. A sondagem foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul sob o número RS-00029/2014.

Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.