SIGA O EM

Tendências: debate continua sem ajudar eleitor indeciso

Aécio Neves foi beneficiado pelo tom mais propositivo do debate, que deu mais força ao seu discurso de olhar para frente e evitar o debate retrospectivo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/10/2014 09:37 / atualizado em 20/10/2014 10:29

Agência Estado

São Paulo - O debate realizado na noite desse domingo, 19, na TV Record reforçou o quadro de equilíbrio entre as candidaturas que disputam a Presidência e mesmo o tom mais ameno adotado pelos presidenciáveis não ajudou o eleitorado indeciso, segundo o cientista político da Tendências Consultoria Integrada, Rafael Cortez. Para ele, existe a possibilidade de um novo aumento de tom no próximo debate, marcado para sexta-feira, 24, na TV Globo, o que seria uma "tendência natural".

Segundo ele, Aécio Neves (PSDB) foi beneficiado pelo tom mais propositivo do debate, que deu mais força ao seu discurso de olhar para frente e evitar o debate retrospectivo. "Em diversas oportunidades ele fez esse tipo de intervenção. Além disso, a questão da Petrobras ganhou de novo espaço", disse Cortez.

Por outro lado, a sinalização constante do tucano de que dará continuidade aos programas do governo pode ter beneficiado a presidente Dilma Rousseff (PT). "Isso pode dar uma força para o eleitor que está em dúvida e pode preferir votar em quem já conhece", ressaltou.

Dessa forma, para Cortez, não houve vencedor claro e o quadro de empate continua. "Não deve ter havido para o eleitor indeciso uma transformação relevante. O debate não foi um fator capaz de gerar um viés, seja para Dilma, seja para o Aécio", avaliou.

Cortez apontou ainda que o tom mais ameno do embate entre os candidatos teve a ver com a percepção das campanhas de que os ataques poderiam já estar prejudicando a imagem dos candidatos, mas que existe a possibilidade de as campanhas estarem "guardando munição" para o próximo encontro. "As pesquisas vão ditar o tom do último debate. A tendência é aumentar o tom. Essa possibilidade não está descartada, é um equilíbrio muito provisório", afirmou.

Nesta segunda-feira, 20, o Datafolha deve divulgar o resultado de nova pesquisa presidencial, com entrevistas feitas após o debate realizado na noite de ontem.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.