SIGA O EM

Programa eleitoral: PT exibe críticas entre Aécio e Marina; PSDB, debate

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/10/2014 15:01 / atualizado em 17/10/2014 15:14

Agência Estado

No dia em que Aécio Neves (PSDB) e a ex-candidata Marina Silva (PSB) participaram do primeiro encontro oficial com apoiadores no segundo turno, o programa eleitoral do PT na televisão apresentou brevemente o trecho de um debate realizado no primeiro turno no qual Aécio e Marina trocam críticas. O restante do programa desta sexta-feira, da presidente Dilma Rousseff foi dedicado a mostrar trechos do debate no SBT e um novo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A propaganda do PSDB também explorou momentos do encontro de ontem entre os presidenciáveis.

Os trechos do debate no SBT foram interrompidos no programa petista e o locutor anunciou "cenas" de um debate anterior, tornando Aécio e Marina protagonistas da propaganda por alguns momentos. No trecho exibido, o tucano se mostra confuso em relação à "nova política" da ex-ministra e ambos trocam críticas. A cena durou somente alguns segundos.

Já em relação ao debate de ontem, o programa exibiu trechos nos quais Dilma falou sobre corrupção e levantou a notícia de que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa disse ter dado dinheiro para pagamento de propina ao ex-presidente do PSDB Sérgio Guerra, que morreu em 2014. "Vocês nunca deixaram investigar. Minas engavetava, na sua época, todos os processos", disse a petista no debate. "Mais uma vez, ficou muito evidente a diferença do modelo de governo que Dilma representa e o que Aécio defende", disse o apresentador da propaganda.

O programa também voltou a dizer que Dilma enfrentou a maior crise internacional gerando 5 milhões de empregos e mostrou ato de apoio com sindicalistas realizado nesta semana, em São Paulo. "Por isso, os maiores sindicatos de trabalhadores do País já decidiram de que lado estão", disse o apresentador. "Queremos propor uma mesa de negociação, tanto para discutir a questão dos aposentados, quanto para discutir o fator previdenciário", afirmou a presidente, no evento.

Lula, que havia ficado fora dos cinco primeiros programas do segundo turno, voltou a pedir votos para a petista. "Os direitos e as conquistas dos trabalhadores estão agora sob ameaça. Ainda não construímos o País dos nossos sonhos, mas sabemos o quanto avançamos", disse, apontando que o Brasil pode optar por continuar avançando ou pelo retrocesso.

O debate do SBT foi o protagonista do programa de Aécio, assim como novas defesas de sua gestão em Minas Gerais. "Aécio gastou menos com o governo para gastar mais com as pessoas, a saúde e a educação", reiterou o apresentador.

Sobre o debate, o locutor afirmou: "Aécio provou que o Brasil tem que mudar. Aécio desmontou as mentiras que a campanha da Dilma tem usado para tentar confundir os brasileiros". A propaganda exibiu trechos nos quais o tucano acusa Dilma de mentir sobre a votação do salário mínimo e sobre dados da mortalidade infantil em Minas.

Também foi exibida a defesa que Aécio fez da atuação de sua irmã, Andréa Neves, no governo de Minas, assim como a acusação de que o irmão da presidente, Igor Rousseff, foi nomeado assessor especial da prefeitura de Belo Horizonte na gestão de Fernando Pimentel (PT), que venceu este ano o pleito para o governo de Minas Gerais. "A diferença entre nós é que minha irmã trabalha muito e não recebe nada, e o seu irmão recebe, mas não trabalha", criticou Aécio.

Os trechos só foram deixados de lado para a exibição de imagens da escola estadual Barão de Macaúbas, em Belo Horizonte. No debate de ontem, Aécio acusou o PT de ter tirado fotos da obra da escola em um domingo para mostrar que ela estava parada. A propaganda do PSDB mostrou imagens que, segundo eles, foram feitas ontem, mostrando o andamento das obras. O programa também exibiu o depoimento de um segurança, que afirmou que dois homens pediram para tirar fotos da escola em um domingo, quando ele estava de plantão. Segundo o segurança, os fotógrafos não se identificaram como sendo da campanha da petista.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.