SIGA O EM

Temer pede coerência aos peemedebistas gaúchos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/10/2014 12:01 / atualizado em 16/10/2014 12:13

Agência Estado

Porto Alegre - O vice-presidente da República e candidato à reeleição na chapa de Dilma Rousseff, Michel Temer, pediu coerência aos peemedebistas do Rio Grande do Sul, Estado que está visitando nesta quinta-feira, 16, em atividades de campanha política. Ao mesmo tempo, evitou falar se o PMDB, partido do qual é presidente, irá para a oposição em caso de vitória do tucano Aécio Neves na eleição presidencial.

Assim como em outros Estados, as alianças políticas do Rio Grande do Sul criaram situações contraditórias. Temer declara apoio a José Ivo Sartori, candidato do partido ao governo do Estado, que já fez manifestação pública de apoio a Aécio. Líder nas pesquisas de intenção de votos entre os gaúchos, Sartori não estava entre as cerca de 50 pessoas que recepcionaram Temer no comitê do vice-presidente em Porto Alegre e promete estar com Aécio em ato público previsto para este sábado, 18.

Embora diga compreender a opção de Sartori como uma contingência local, imposta pela rivalidade histórica do PMDB com o PT no Rio Grande do Sul, Temer mandou recados indiretos aos filiados ao partido durante rápida entrevista coletiva na capital gaúcha.

"Sou presidente nacional do partido e meu dever é acompanhar as decisões das convenções", reiterou Temer. "A convenção nacional decidiu democraticamente renovar a chapa comigo na vice-presidência (da República) e aqui, em face das dificuldades locais, a convenção decidiu apoiar Sartori, então meu apoio aqui é para Sartori", explicou.

"Eu tenho coerência peemedebista e peço àqueles que apoiam Sartori que votem, por coerência com a decisão nacional, em Dilma e, naturalmente, em mim".

Questionado duas vezes pelos jornalistas sobre a hipótese de o PMDB ir para a oposição em caso de vitória de Aécio, Temer evitou indicar o rumo que o partido tomaria. "Isso vamos decidir depois, não é assunto para agora", desconversou. "A afirmação que fazemos é que vamos ganhar a eleição".

Apesar de convicto de que será reeleito, Michel Temer admitiu que nunca é fácil vencer uma eleição, mesmo quando as pesquisas são favoráveis, porque o último momento da campanha é o mais decisivo. Revelou, ainda, que a chapa acredita que vai conquistar boa parte dos votos dos indecisos e dos eleitores que optaram por Marina Silva (PSB) no primeiro turno. Além de Porto Alegre, Temer programou encontros políticos em Bagé, Rio Grande e Passo Fundo, no interior do Estado, também hoje
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.