SIGA O EM

Aécio Neves afirma que o Nordeste terá prioridade em seu governo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2014 18:01

Rosália Rangel

Discutir política na casa do ex-governador Eduardo Campos é um prato que o presidenciável Aécio Campos (PSDB) costuma consumir quando vem a Pernambuco. A última visita foi em 22 de fevereiro, ainda na condição de pré-candidato à Presidência da República, para um encontro com Eduardo, que também costurava seu projeto presidencial e para conhecer Miguel, o filho mais novo de Renata e Eduardo. Neste sábado (11), ele repetiu o ritual. Veio ao estado para consolidar o apoio que recebeu do PSB nacional, na última quarta-feira (8), e entre as atividades deu um tempo técnico na agenda para almoçar na casa de Renata Campos, no bairro de Dois Irmãos, no Recife.

Um local, como definiu o presidenciável, onde ele sempre conversou muito com Eduardo sobre o Brasil e que Renata sempre esteve perto como testemunha. Com aliança fechada com o PSB, Aécio garantiu que a candidatura dele agora não é apenas do PSDB, mas “o desejo daqueles que querem a retomada da ética na política”. Na casa de Renata, o tucano recebeu apoio da família Campos e disse que a responsabilidade dele hoje é com ”os pés no chão”, com muita serenidade, mas sobretudo com a mesma coragem e firmeza de Eduardo Campos para defender um novo projeto para o país.

“Um projeto inclusivo, um projeto que tem o Nordeste como prioridade e Renata não deixava eu me esquecer disso (na conversas durante o almoço). Podem ter certeza que saio hoje (neste sábado, 11) com uma responsabilidade, que era grande e que agora é ainda maior. Vou levar a todas as partes do Brasil, em todos os dias de campanha e se for vitorioso, depois da campanha também, os sonhos reais de ver esse Brasil maior porque foi isso que marcou a trajetória de Eduardo”, observou Aécio em entrevista após o almoço.

Em fevereiro, ao falar sobre o encontro com o ex-governador, Aécio falou que o motivo da visita não era em razão da eleição. “É uma conversa permanente que se iniciou há mais de 20 anos e não há porque ser interrompida agora. Ao contrário, no que depender de mim essas conversas continuarão, porque política é isso, é a arte do entendimento, da construção de caminhos. O Brasil precisa urgentemente de novos caminhos, acho que esse é um ponto muito forte também de identidade, de convergência entre o governador Eduardo e eu”, destacou.

Neste sábado, no portão da residência de Renata, cercado pelos filhos de Eduardo e correligionários, o candidato voltou a ressaltar que a ida dele à casa da família Campos não representou uma visita política. “O que nós fizemos hoje foi uma visita pessoal, de coração. Fiz questão de trazer Gabriela, minha filha, para conhecer os filhos de Eduardo porque o que estamos fazendo aqui não é uma aliança eleitoral. É um pacto para toda vida pela democracia da vida pública brasileira”, alertou.

Aécio chegou para o almoço por volta das 14h, acompanhado de lideranças do PSB, a exemplo do governador eleito Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Julio e do senador eleito Fernando Bezerra Coelho. Do PSDB estavam o presidente estadual do partido, Bruno Araújo, os deputados estadual Daniel Coelho, Betinho Gomes e Terezinha Nunes. O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB) e o ex-candidato a vice-presidente Beto Albuquerque (PSB/RS), também participaram.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.