SIGA O EM

Aécio e Dilma fazem comparação de estilos na TV

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/10/2014 00:12 / atualizado em 10/10/2014 07:43

Juliana Cipriani /

Os escândalos de corrupção e ataques pessoais ficaram de fora da primeira propaganda eleitoral na TV no segundo turno. Apesar da disputa acirrada entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), os dois programas foram voltados para a comparação dos estilos de governar. Enquanto Aécio chamou para o seu lado os eleitores de Marina Silva (PSB) e os que anularam o voto ou se abstiveram, Dilma disse ter entendido o recado das ruas e das urnas e adotou o novo mote: “governo novo, ideias novas”.

Apresentada como grande vencedora do primeiro turno, Dilma abriu mão do tradicional vermelho no terninho para agradecer aos eleitores e prometer as “mudanças necessárias” para melhorar “ainda mais” a vida dos brasileiros. A petista disse que não faria ataques e partiu para estratégia de colar Aécio ao governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). “É fato que ele representa um governo que quebrou o Brasil três vezes, que abafou todos os escândalos de corrupção, que privatizou o patrimônio público a preço de banana, que causou desemprego altíssimo, arrocho salarial e recessão”, afirmou. Dilma seguiu dizendo que o governo tucano “se curvou ao FMI, esqueceu os mais pobres e não investiu nem na área social nem na infraestrutura”.

Com reportagens de jornais, lembrou que FHC chegou a “chamar aposentados de vagabundos” e, ao falar do resultado do primeiro turno, disse que os eleitores de Dilma são “ignorantes”. O programa da presidente destacou o resultado do primeiro turno em Minas Gerais, onde ela saiu na frente, e apresentou o depoimento do governador eleito Fernando Pimentel (PT) para abrir as falas de aliados eleitos nos estados. “Tivemos uma importante, extraordinária vitória em Minas Gerais; minha, mas da presidente Dilma, principalmente. Teve mais votos em Minas, território do adversário, e agora vamos para a segunda etapa”, afirmou Pimentel, seguido por eleitos em sete estados.

LEMBRANÇA DE TANCREDO O programa de Aécio foi aberto com a lembrança do avô, Tancredo Neves, na luta pela redemocratização do Brasil, com direito a mostrar um discurso dele na época. De azul, Aécio começa dando os parabéns aos eleitores que, segundo ele, foram os grandes vitoriosos das urnas. “Milhões de brasileiros deixaram claro que não aceitam que o Brasil continue no rumo que está”, afirmou. O tucano diz que o segundo turno promete ser duro, pois os adversários mostraram não ter limites para continuar no poder.

Aécio é apresentado novamente como pai de três filhos, economista, presidente da Câmara dos Deputados e governador de Minas por duas vezes, destacando ter terminado a gestão com 92% de aprovação. O locutor do programa passa a comparar o desempenho do tucano ao da petista. “Dilma pegou um país que ia bem e quatro anos depois está em recessão, parado. Aécio pegou um estado que ia mal e dois anos depois voltou a crescer. Dilma aumentou o número de ministérios e cargos políticos, Aécio cortou o número de secretarias e cargos políticos. Dilma diz que a culpa dos problemas do Brasil é do mundo, Aécio diz que é do governo”.

Para reforçar o chamamento aos eleitores de Marina, Aécio mostrou ato do PSB de apoio à sua candidatura e falou que pretende levar o “legado” do ex-goverador Eduardo Campos. Também mostrou depoimento dos candidatos derrotados Eduardo Jorge (PV) e Pastor Everaldo (PSC). O tucano apresentou ainda pesquisa do Paraná Pesquisas, que o mostra oito pontos à frente de Dilma.