SIGA O EM

Maioria do PSB já é favorável a apoiar Aécio no 2º turno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/10/2014 09:31 / atualizado em 08/10/2014 11:11

Agência Estado

A Executiva nacional do PSB deverá aprovar nesta quarta-feira, 8, o apoio do partido à candidatura do tucano Aécio Neves no 2.º turno da eleição presidencial. Dos 27 diretórios regionais do partido, só quatro ainda não haviam se decidido até ontem por esta opção: Acre, Amapá, Bahia e Paraíba.

Entretanto, desses quatro, é provável a mudança de posição em três deles, todos a favor da aliança com Aécio. A exceção deve ser a Paraíba, onde PSB, com o governador Ricardo Coutinho, e PSDB, com o senador Cássio Cunha Lima, disputam o 2.º turno da eleição para governador.

"Teremos uma posição. Não vamos ficar em cima do muro", disse ao jornal O Estado de S. Paulo o deputado Júlio Delgado, presidente do partido em Minas Gerais. Delgado acredita que a tendência é a legenda mostrar unidade de todos os diretórios regionais, ressalvando que, na Paraíba, há uma questão excepcional.

Resistências

Próximo a Aécio, Delgado está em contato com diretórios que ainda não se decidiram pelo apoio ao tucano. "Estou pessoalmente conversando com Davi Alcolumbre (DEM), senador eleito no Amapá. É possível que apoie a reeleição do governador Camilo Capiberibe (PSB) e, nesse caso, resolveremos logo a situação no Estado", afirmou o deputado.

Os dirigentes do PSB também consideram vencida a resistência do presidente interino do partido, Roberto Amaral, ao apoio a Aécio Neves. A princípio, por se dizer amigo da presidente Dilma Rousseff (PT), adversária de Aécio no 2.º turno, Amaral chegou a defender a neutralidade do partido. Mas cedeu porque poderia ver aumentar as resistências à eleição dele para a presidência do PSB - o que só será decidido em reunião do diretório do partido marcada para o dia 13.

"Nós queremos manter nossa aliança partidária em torno do nosso programa de governo, que passará a ser o projeto de contribuição para o 2.º turno da eleição", disse Amaral.

Segundo ele, a pedido da ex-ministra Marina Silva - que ficou em terceiro lugar na disputa à Presidência -, os seis partidos que fizeram parte da aliança que a apoiou no 1.º turno (PSB, PPS, PSL, PPL, PHS, PRP, além de representantes da Rede, com funcionamento ainda informal) também vão se reunir hoje para tentar chegar a uma posição comum em relação ao apoio neste 2.º turno.

A própria Marina já fez consultas aos presidentes de todos os partidos sobre o que pretendem fazer. Eles deixaram claro que preferem Aécio a Dilma na segunda rodada das eleições.

O PPS, legenda que integrou a coligação de Marina, decidiu ontem pela aliança com o candidato tucano. Para Roberto Amaral, isso não atrapalha o desejo de que a decisão seja tomada pelo bloco partidário. "O PPS já havia nos comunicado que ficaria com o Aécio. Não há problema nenhum. Vamos nos reunir e tomar a decisão conjunta na quinta-feira (amanhã)", afirmou Amaral.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.