SIGA O EM

Aécio convoca aliados para reforçar campanha

Partidos da coligação se reúnem hoje, em Brasília, para o primeiro grande ato do 2º turno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/10/2014 06:00 / atualizado em 08/10/2014 07:41

Flávia Ayer

NELSON ALMEIDA/AFP
Os principais nomes do PSDB e de partidos aliados estarão reunidos hoje em Brasília para um ato político com objetivo de alavancar a candidatura do senador Aécio Neves à Presidência da República. Deputados, senadores e governadores eleitos e não eleitos foram convocados para mostrar a força do tucano. A cúpula do PSB, partido da ex-senadora Marina Silva, também estará na capital federal para definir se apoiará o tucano. Mas, enquanto o apoio não é formalizado, Aécio já começa a adotar o tom “marinês” em seu discurso. Ontem, ele defendeu uma “nova política” e o fim da reeleição, duas bandeiras da ex-senadora, que conquistou 22 milhões de votos no último domingo.


Em campanha de rua numa obra de construção civil em São Paulo na manhã de ontem, o tucano destacou que seu programa de governo está aberto a novas ideias. “Estou pronto para liderar um projeto em favor do Brasil, em favor de uma nova política, em favor de uma construção coletiva. Nossa proposta de governo é sempre aberta a novas contribuições. É uma obra que não termina”, disse. Também reforçou que, assim como Marina, é contra a reeleição, mas ponderou se tratar de questão que deve ser discutida no Congresso Nacional. “Sou a favor do mandato de cinco anos”, disse.

Aécio estava acompanhado do senador eleito José Serra (PSDB) e do governador reeleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Durante o evento, ele recebeu ligação do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), que era vice de Marina e já sinalizou sua preferência em relação a Aécio. Segundo o tucano, foi uma “conversa de amigos”. Logo depois, foi a vez de o candidato receber telefonema do deputado Roberto Freire, presidente nacional do PPS, outro aliado da ex-senadora. À tarde, depois de reunião com a executiva nacional, o partido formalizou estar com o tucano no segundo turno. A posição foi unânime entre os presentes. No Rio, o candidato do PMDB a governador, Luiz Fernando Pezão, afirmou que o movimento “Aezão”, promovido por apoiadores de sua candidatura em favor de Aécio, vai continuar no segundo turno.

A reunião dos integrantes da aliança Muda Brasil vai ser o primeiro grande evento público de Aécio na nova fase da campanha e ocorrerá no Memorial JK, onde estão os restos mortais do presidente Juscelino Kubitschek. “Será a comunhão de pessoas que apoiam a candidatura do Aécio. Esse sentimento de virada continua presente. Ele passou clareza ao país, mostrando que tem condições de derrotar a presidente Dilma”, disse o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), coordenador jurídico da campanha de Aécio.

O deputado federal reeleito Marcus Pestana (PSDB), que está cuidando das alianças com candidaturas derrotadas, afirma que a mobilização de hoje é um “grito de guerra para a virada”. Se, por um lado, Aécio está se aproximando cada vez mais de Marina e seus aliados, por outro, os correligionários estão tratando de reforçar a oposição entre as candidaturas de Dilma Rousseff e Aécio Neves.

No evento de hoje, os coordenadores da campanha de Aécio apontarão as estratégias a serem adotadas, com ênfase na crítica às políticas econômicas do atual governo. “Vamos mobilizar as principais lideranças e mostrar o esgotamento do ciclo do PT, da crise econômica que se avizinha graças à má condução da política econômica”, afirma. Aécio já definiu também sua agenda de campanha no fim de semana. No sábado, vai a Aparecida, interior de São Paulo e, no domingo, à festa de Círio de Nazaré, em Belém, considerado um dos maiores eventos religiosos do país.

PIMENTEL

Em entrevista à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, ontem, Aécio Neves afirmou que, se vencer a eleição, vai governar em sintonia com o governador eleito de Minas, Fernando Pimentel (PT), num convívio republicano. ‘Da minha parte, essa será a tônica da nossa relação. Sempre tivemos, inclusive, relação de amizade. Estivemos em campos políticos opostos, mas jamais deixamos de nos respeitar. E se foi essa a decisão majoritária do povo mineiro, cabe a mim respeitá-la e, eleito presidente, fazer o que for possível para que Minas possa avançar cada vez mais”, afirmou Aécio.

Pimentel também parece adotar a postura de bom cavalheiro e, anteontem, disse à Folha de S. Paulo ser contra campanha agressiva do PT no segundo turno contra Aécio. O petista disse ser “tosco” tentar usar o mote “quem conhece Aécio não vota nele”. Em 2008, numa aliança inédita, Pimentel e Aécio estiveram unidos em torno da eleição do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda. (Com agências)

MG: Anastasia coordenador

O ex-governador e senador eleito Antonio Anastasia (PSDB) terá o desafio de garantir a vitória do presidenciável Aécio Neves em Minas, onde o tucano foi derrotado pela presidente Dilma Rousseff por 43% contra 39% dos votos. Anastasia assumiu a coordenação da campanha de Aécio no estado. Animado com a nova função, ontem, ele passou o dia reunido com deputados e prefeitos da base aliada. “Vamos fazer um trabalho forte em cima das nossas propostas e da qualidade do nosso candidato e do nosso projeto de governo ético e eficiente”, disse. Anastasia ainda contou que deve realizar várias reuniões com todos os parlamentares eleitos. “Estamos mantendo mobilizadas as forças políticas majoritárias em Minas Gerais”, falou.