SIGA O EM

Governador da Bahia diz que Aécio não é mudança de poder, é alternância

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/10/2014 16:37 / atualizado em 07/10/2014 17:26

Agência Estado

O governador da Bahia Jaques Wagner (PT), que conseguiu eleger no primeiro turno o seu sucessor, Rui Costa (PT), afirmou nesta terça-feira que o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, não representa a mudança desejada por parte dos eleitores. "O Aécio não pode ser mudança, ele pode ser uma alternância de poder", disse, em referência à polarização entre o PT-PSDB dos últimos 20 anos.

Wagner está reunido com outros governadores, senadores e deputados da base aliada de Dilma Rousseff em Brasília, onde o grupo avalia a estratégia petista para o segundo turno. O governador disse que Aécio foi o vencedor do primeiro turno. "Vamos ser francos: quem venceu a Marina Silva (PSB) não foi a Dilma, foi o Aécio", afirmou.

Apesar do reconhecimento, Wagner disse que durante o primeiro turno "quem ficou com mais raiva da Marina foi o Aécio", por ser ultrapassado pela socialista até a última semana de votação, quando virou o placar e derrotou a candidata. Por isso, segundo o governador, Aécio "desconstruiu" a candidatura de Marina no programa eleitoral. Wagner também afirmou que Dilma pode ampliar a vantagem de 3 milhões de votos que teve sobre o tucano no primeiro turno. "Dilma pode ampliar vantagem no segundo turno para 3,5 milhões de votos", afirmou.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.