SIGA O EM

Eleição para presidente no Brasill é destaque em sites de notícias internacionais

A virada de Aécio Neves na reta final da campanha foi objeto de análise do El País e do Le Monde

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/10/2014 11:20 / atualizado em 06/10/2014 11:44

Estado de Minas

As eleições no Brasil neste domingo foram destaque em sites da imprensa internacional. Dois deles destacaram a virada na reta final da campanha do candidato do PSDB à Presidência da República , Aécio Neves. No El Pais, a confirmação de Aécio para o segundo turno “não só foi uma surpresa” como também a vitória deve ser creditada “a ele pessoalmente”. Para o jornal espanhol, o resultado das urnas para Aécio foi um “fenômeno em termos de psicologia”. O periódico justifica que o tucano teve “capacidade de reação frente a uma derrota anunciada e de alguma forma já aceita até por seu partido".

Também para o Le Monde, a surpresa do primeiro turno foi a arrancada de Aécio (PSDB), que até a última semana da campanha, segundo as pesquisas, estava atrás de Marina Silva (PSB). Segundo o diário francês, o tucano foi o “convidado surpresa” que obteve resultado cerca de sete pontos percentuais superior ao apontado pelas sondagens de intenção de voto.

O jornal francês analisa que Aécio terá como desafio converter para a sua candidatura os votos de Marina Silva (PSB), que obteve 21,29% da preferência do eleitorado. Na reportagem, o jornal lembrou que Aécio Neves fez nesse domingo um apelo ao partido de Marina Silva para unir forças contra a candidatura de Dilma Rousseff. No entanto, apontou que a pessebista ainda não declarou apoio para o segundo turno, decisão que, segundo ela, será tomada após discussão com sua “família política”.

O Financial Times preferiu destacar a candidata Marina Silva, com foto, na manchete do site. No espaço que o jornal britânico deu a Marina, ela culpa “a velha política” pela derrota eleitoral.

"Desencantamento"


O The New York Times relacionou a arrancada de Aécio ao "desencantamento" dos eleitores com o PT, enquanto o britânico The Guardian avaliou que, mesmo com o desejo de mudança do brasileiro, Dilma foi beneficiada por seu programa de distribuição de renda - o Bolsa Família.

A publicação americana destacou que a eleição brasileira este ano é uma das mais disputadas desde que a democracia foi restabelecida no País, na década de 1980. A reportagem apontou que a disputa entre Dilma e Aécio sugere que, apesar do fortalecimento de uma terceira via com Marina Silva (PSB), a polarização entre os dois partidos pode se tornar ainda mais acentuada.

"Os dois representam ideologias rivais, com Dilma defendendo um capitalismo de Estado e Aécio defendendo que o papel do Estado na economia deve ser reduzido", disse o jornal. Segundo o NYT, apesar do humor nacional com o governo Dilma, sua campanha foi impulsionada por políticas que focaram a preservação de empregos e os benefícios sociais.

O The Guardian também avaliou que Dilma "surfou na onda" de programas como o Bolsa Família. "O programa de distribuição de renda da presidente parece ter rendido frutos, deixando-a em uma apertada liderança no pleito", disse a publicação, sem detalhar que o programa já existia antes de a petista assumir o governo.

O jornal comentou ainda o desempenho de Marina, que chegou a liderar as simulações de segundo turno, mas que nas urnas ficou em um "distante" terceiro lugar com 21,3% dos votos, "quase o mesmo resultado de quatro anos atrás". "A batalha esquerda-direita entre os dois maiores partidos é uma decepção para aqueles que esperavam a mudança por meio da ex-ministra Marina Silva", afirmou a publicação.
Comentários O comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.