SIGA O EM

Eleitor 'mudou até o último minuto', avalia Ibope

Dretora do Ibope negou que o instituto tenha errado no prognósticos do resultado das urnas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/10/2014 09:07 / atualizado em 06/10/2014 10:56

Agência Estado

São Paulo - A diretora executiva do Ibope, Márcia Cavallari, negou que o instituto de pesquisa tenha errado os resultados após o crescimento repentino do candidato Aécio Neves (PSDB), que superou Marina Silva (PSB) com ampla vantagem e foi para o segundo turno com a candidata Dilma Rousseff (PT).

Na última pesquisa, divulgada no sábado, 4, Aécio tinha 27% dos votos válidos, contra 24% de Marina. Dilma aparecia na liderança com 46%. "Essa era uma eleição com mais incertezas. Sabíamos disso desde as manifestações de junho do ano passado", disse Márcia, em entrevista à TV Estadão.

Segundo ela, a diferença dos resultados de ontem para as últimas pesquisas em alguns Estados não foi captada porque o eleitor mudou até o último minuto. "Nossa última pesquisa havia mostrado um crescimento do Aécio. Esse movimento continuou após o fim da pesquisa, por isso o resultado oficial foi diferente", explicou.

"O eleitor teve um interesse tardio por essa eleição." Márcia também comentou o desfecho das eleições no Rio Grande do Sul, onde o resultado foi diferente do divulgado pelo Ibope. A última pesquisa mostrava o atual governador Tarso Genro (PT) em primeiro lugar, com 35% das intenções de voto, seguido por Ana Amélia Lemos (PP) com 27%, e José Ivo Sartori (PMDB), 20%. No pleito de ontem, Sartori foi para o segundo turno com Tarso Genro.

"Quando o movimento do eleitor é brusco, a pesquisa não capta", disse. Apesar das diferenças, o Ibope tem 92% de precisão nos resultados das pesquisas até agora, segundo Márcia. A próxima pesquisa deve ser divulgada na quinta-feira, em parceria com o jornal O Estado de S. Paulo e a Rede Globo. Até o fim do segundo turno, devem ser divulgadas até quatro pesquisas.