Publicidade

Estado de Minas

Economistas que integram governo Dilma cogitam participar da gestão de Pimentel


postado em 06/10/2014 07:50 / atualizado em 06/10/2014 07:54

Economistas mineiros que integram o governo Dilma Rousseff cogitam participar da gestão de Fernando Pimentel em Minas Gerais. O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, sucessor de Pimentel na pasta, disse ontem, enquanto acompanhava o voto do companheiro de partido em Belo Horizonte, que está disponível para avaliar seu retorno e ocupar um cargo executivo em MInas.
“É sempre um grande prazer servir ao estado. É claro que esse processo (de escolha) passa pela

discussão também do novo ministério e do novo governo (federal). Acreditamos que a presidente Dilma será reeleita. Posso continuar no ministério”, afirmou.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina, também acompanhou Pimentel ontem, mas preferiu não fazer comentários antes dos resultados das eleições.

Notáveis

Campolina e Mauro Borges fazem parte do grupo de notáveis do prestigiado Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da UFMG, ao lado de outro mineiro atuante no governo federal, Maurício Borges, presidente da Agência Brasileira de Exportações e Promoção de Investimentos (Apex-Brasil) e diretor das áreas administrativa, financeira e de operações indiretas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ligados a Fernando Pimentel, os três economistas podem ter influência direta no governo do companheiro, segundo o deputado federal Nilmário Miranda.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade