15°/ 31°
Belo Horizonte,
28/AGO/2014
  • (14) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

"Me deram uma injeção e disseram para não bater naquele dia", conta Dilma Presidente revela detalhes da tortura sofrida por ela em Minas Gerais

Sandra Kiefer -

Publicação: 17/06/2012 07:21 Atualização: 17/06/2012 07:51

Reportagem do EM que noticiou o julgamento em Juiz de Fora (Dilma aparece no banco dos réus, no alto à direita)  (Marcos Michelin/EM/D.A.Press - Reprodução)
Reportagem do EM que noticiou o julgamento em Juiz de Fora (Dilma aparece no banco dos réus, no alto à direita)
 

Tortura psicológica

“Tinha muito esquema de tortura psicológica, ameaças. Eles interrogavam assim: ‘Me dá o contato da organização com a polícia?’ Eles queriam o concreto. ‘Você fica aqui pensando, daqui a pouco eu volto e vamos começar uma sessão de tortura.’ A pior coisa é esperar por tortura.”

Ameaças

“Depois (vinham) as ameaças: ‘Eu vou esquecer a mão em você. Você vai ficar deformada e ninguém vai te querer. Ninguém vai saber que você está aqui. Você vai virar um ‘presunto’ e ninguém vai saber’. Em São Paulo me ameaçaram de fuzilamento e fizeram a encenação. Em Minas não lembro, pois os lugares se confundem um pouco.”

Sequelas

“Acho que nenhum de nós consegue explicar a sequela: a gente sempre vai ser diferente. No caso específico da época, acho que ajudou o fato de sermos mais novos; agora, ser mais novo tem uma desvantagem: o impacto é muito grande. Mesmo que a gente consiga suportar a vida melhor quando se é jovem, fisicamente, a médio prazo, o efeito na gente é maior por sermos mais jovens. Quando se tem 20 anos o efeito é mais profundo, no entanto, é mais fácil aguentar no imediato.”

Sozinha na cela

“Dentro da Barão de Mesquita (RJ), ninguém via ninguém. Havia um buraquinho na porta, por onde se acendia cigarro. Na Oban (Operação Bandeirantes), as mulheres ficavam junto às celas de tortura. Em Minas sempre ficava sozinha, exceto quando fui a julgamento, quando fiquei com a Terezinha. Na ida e na vinda todas as mulheres presas no Tiradentes sabiam que eu estava presa: por exemplo, Maria Celeste Martins e Idoina de Souza Rangel, de São Paulo.”

Visita da mãe

“Em Minas, estava sozinha. Não via gente. (A solidão) era parte integrante da tortura. Mas a minha mãe me visitava às vezes, porém, não nos piores momentos. Minha mãe sabia que estava presa, mas eles não a deixavam me ver. Mas a doutora Rosa Maria Cardoso da Cunha, advogada, me viu em São Paulo, logo após a minha chegada de Minas. Hoje ela mora no Rio e posso contatá-la ”

Cena da bomba

“Em Minas, fiquei só com a Terezinha. Uma bomba foi jogada na nossa cela. Voltei em janeiro de 72 para Juiz de Fora (nunca me levaram para BH). Quando voltei para o julgamento, me colocaram numa cela, na 4ª Cia. de Polícia do Exército, 4ª Região Militar, lá apareceu outra vez o Dops que me interrogava. Mas foi um interrogatório bem mais leve. Fiquei esperando o julgamento lá dentro.”

Frio de cão

“Um dia, a gente estava nessa cela, sem vidro. Um frio de cão. Eis que entra uma bomba de gás lacrimogênio, pois estavam treinando lá fora. Eu e Terezinha ficamos queimadas nas mucosas e fomos para o hospital. Tive o
‘prazer’ de conhecer o comandante general Sílvio Frota, que posteriormente me colocaria na lista dos infiltrados no poder público, me levando a perder o emprego.”

Motivos

“Quando eu tinha hemorragia, na primeira vez foi na Oban (…) foi uma hemorragia de útero. Me deram uma injeção e disseram para não bater naquele dia. Em Minas, quando comecei a ter hemorragia, chamaram alguém que me deu comprimido e depois injeção. Mas me davam choque elétrico e depois paravam. Acho que tem registros disso no final da minha prisão, pois fiz um tratamento no Hospital das Clínicas.”

Morte e solidão

“Fiquei presa três anos. O estresse é feroz, inimaginável. Descobri, pela primeira vez, que estava sozinha. Encarei a morte e a solidão. Lembro-me do medo quando minha pele tremeu. Tem um lado que marca a gente o resto da vida.”

Marcas da tortura

“As marcas da tortura sou eu. Fazem parte de mim.”

Esta matéria tem: (14) comentários

Autor: Robes Mendes
Dilma NUNCA lutou p/ democracia NENHUMA. Lutava por uma ditadura comunista. São fatos históricos, documentados, indiscutíveis. Nem ela é capaz de ter o cinismo de negar isto! | Denuncie |

Autor: Silvio costa
João e Francisco, a historia é uma só ou me engano ao afirmar que ela assim como o Genuino e tantos outros que transitam pelo poder, foram assaltantes e sequestradores? e que torturam tb? Devo ser mesmo muito inculto. O q é isso companheiro? | Denuncie |

Autor: Vinicius de Souza Jorge
quando se criou essa comissao, eu me perguntava e continuo a me perguntar: pra que isso? reviver uma coisa ruim e que estava enterrada, mexer na ferida da presidente e sem dar em nada, sera que ela nao esta muito revoltada com o seu passado? temos coisas mais importantes p preocupar.desc os contras. | Denuncie |

Autor: Paulo Barbosa
Com todos os defeitos o regime democrático ainda é o melhor até agora inventado. Agora confundir co impunidade, falcatruas, malversação do dinheiro público, mordomias assintuosa, benesses e privilégios com democracia aí já é um acinte ao cidadão que paga seus impostos em dia. | Denuncie |

Autor: Geraldo Lima
Este pessoal do PT se preparou para se instalar no Poder para vingar o que sofreram. Acontece que ninguém apanhou dos militares sem nada ter feito. Ademais, assaltar bancos e sequestrar pessoas é crime e, naquela época crimes continuados e cumulados com traição à pátria. Tortura é erro, mas pena não. | Denuncie |

Autor: João Melo
Sílvio, leia a História. Se instrua. Vc poderá dar uma opinião mais abalizada, apesar de respeitar a sua atual, mesmo discordando dela. | Denuncie |

Autor: Nathan
Pela cultura da PAZ, amor e solidariedade entre os povos. | Denuncie |

Autor: Francisco Antonio
Silvio Costa, a Dilma doou a indenização recebida, 20 mensais, para o grupo Tortura nunca mais. | Denuncie |

Autor: Francisco Antonio
Tenho pena de você, Silvio Costa. Faltou a materia, a foto do julgamento da Dilma, onde os juizes escondem suas caras assim como fazem os criminosos, para não aparecerem. No blog do PHAmorim tem a foto. Não escondam os fatos. | Denuncie |

Autor: volody quicanez
Este Sr. Silvio Costa deveria ler e estudar um pouco mais sobre a história na época da ditadura. Pessoas que tem rastros de cultura e conhecimento pensam igual este. de pagar umas aulas particulares com um bom professor de História. | Denuncie |

Autor: Paulo Barbosa
Cada comentário de estarrecer! Cruzes, misturam as coitas e aparecem cada coisa escrita que deveriam ser analisadas e pensadas, antes ce escrever. Violência nunca mais! | Denuncie |

Autor: Angelo Goulart
A tortura é a barbarie! O ser Humano já evoluiu ! para entender isso. Agora não há mais tempo? O Orbe planetario já entrou em nova transição quem não tiver evolução eswpiritual e moral esta fora de sintonia com o que vem ai! então aqui não pode ficar , não possue evolução! | Denuncie |

Autor: Silvio costa
estes sim deveriam ser lembrados, indenizados, ter páginas de jornais. | Denuncie |

Autor: Silvio costa
Roubar banco, cometer assassinatos, atentados, por bombas em bancas de jornais, matar policiais, civis, sequestrar, etc. pode? temos criminisos reclamando que a policia agiu? para com isso Brasil Vamos ter pena dos familiares dos mortos nas filas dos hospitais, nas estradas sem condições de uso... | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.