SIGA O EM

Partidos querem que Comissão de Ética investigue deputado sobre a Lista de Furnas

Segundo PSDB, PPS, PP e DEM, as denuncias de envolvimento de nomes de seus quadros na lista de supostas contribuições de campanha é uma fraude

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 19/12/2011 18:45 / atualizado em 19/12/2011 19:11

Estado de Minas

Deputados dos quatro partidos que tiveram os nomes envolvidos na chamada Lista de Furnas se reuniram na tarde desta segunda-feira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (Alemg) para pedir que seja aberto procedimento de investigação na Comissão de Ética da Casa contra o deputado petista Rogério Correia. PSDB, PPS, PP e DEM tiveram nomes dos seus quadros citados na lista com supostas contribuições de campanha não contabilizadas a 156 políticos nas eleições de 2002.

Segundo o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ), as quatro legendas foram prejudicadas pelas denúncias. “Nossos partidos foram prejudicados por essa fraude. Já entramos com processo no Ministério Público mineiro e agora buscamos representação na Comissão de Ética”, disse. O presidente da Comissão de Ética, deputado estadual Doutor Viana (DEM), disse que após o recebimento do protocolo será feito todo o procedimento necessário para as investigações. “Não queremos prejulgar ninguém”, afirmou.

Na última sexta-feira, os quatro partidos protocolaram representação no Ministério Público mineiro pedindo que o petista seja acionado por crime de improbidade administrativa. Na ação,as legendas alegam o uso da estrutura do Legislativo em “assunto diverso e estranho à atividade do parlamentar” para articular com o lobista Nilton Monteiro a lista de Furnas.

Lista de furnas

A planilha que teria valores e informações sobre repasses a campanhas eleitorais de parlamentares e governantes de oposição durante o pleito de 2002. O documento teria sido apresentado durante a crise do mensalão do PT para fazer um contraponto às denúncias do esquema operado pelo publicitário Marcos Valério. O caixa dois denunciado seria organizado pelo então comandante da estatal, Dimas Toledo.
Tags: