20°/ 32°
Belo Horizonte,
01/SET/2014
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Justinópolis vê na emancipação a oportunidade de garantir melhorias no distrito

Publicação: 13/03/2011 07:06 Atualização:

A vontade de ser um município já está nas placas: quem passa pela Avenida Pedro I, em Belo Horizonte, vê em duas delas a indicação de trajeto para Justinópolis, distrito que pertence a Ribeirão das Neves. Algum desavisado pode até achar que se trata de uma cidade, mas não é. Pelo menos por enquanto. Os moradores de Justinópolis bem que tentaram por duas vezes a emancipação – em novembro de 1992 e outubro de 1995 –, mas menos da metade dos eleitores compareceram às urnas, o que por lei inviabiliza o resultado. Nos dois plebiscitos, mais de 90% daqueles que votaram optaram pelo sim.

Hoje, o assunto já não faz parte das rodas de conversas, mas o desejo de separação ainda continua entre os moradores do distrito que concentra o maior número de bairros e habitantes da cidade – são cerca de 100, onde vivem 150 mil dos 297 mil habitantes de Ribeirão das Neves. Mas bastam poucos minutos de entrevista para perceber que os moradores de Justinópolis e Neves não falam como quem vive na mesma cidade. E até parece que têm razão: eles são separados por uma estrada de oito quilômetros entre a saída do distrito e a chegada ao município propriamente dito.

O comerciante Neliton Miranda Chaves, de 30 anos, é um dos que defendem a emancipação de Justinópolis, segundo ele, “largado” pela prefeitura, que não tem investido, por exemplo, em obras para melhorar ruas e avenidas do distrito, boa parte delas esburacadas. “Sempre fomos excluídos de Neves. Todo prefeito que chega, melhora lá (parte central de Neves), enquanto aqui é na base do protesto. Os moradores de lá não vêm aqui e nós não vamos lá”, argumentou.

Discurso semelhante adotou a salgadeira e ambulante Maria de Lourdes de Jesus, moradora da parte de “lá” de Ribeirão das Neves. “Nunca vou a Justinópolis. Tudo que preciso, resolvo aqui ou em Belo Horizonte”, reconhece ela, que é contra a emancipação do distrito por acreditar que Neves ficará “esquecida”. Ao contrário de Neliton, no entanto, ela reclama que faltam investimentos no lado em que vive.

Sebastião José de Oliveira, de 54 anos, votou favoravelmente à emancipação no último plebiscito. No entanto, para o comerciante, o problema de Justinópolis estaria resolvido se houvesse mais organização e dinheiro para fazer tudo que o distrito precisa. “Cada um que chega, sai sem fazer o que deveria ser feito”, lamentou. Por outro lado, acredita que o desmembramento pode facilitar o trabalho de quem hoje administra a cidade.

CONTRÁRIO

 

Morador da menor entre as três regiões que compõem Neves, o Veneza, o pedreiro José do Patrocínio Silva, de 55 anos, é contra a divisão da cidade onde vive há 17 anos. Para ele, a criação de um novo município fará pouca diferença prática para a população. Ao contrário, apenas vai aumentar o gasto de verbas públicas com o pagamento de salário para vereadores e prefeito, além de causar uma divisão na renda destinada a Neves.

As alegações de falta de investimento em Justinópolis foram contestadas pela Prefeitura de Ribeirão das Neves. De acordo com a assessoria de imprensa, no início deste ano foram protocolados em Brasília projetos para o município orçados em R$ 300 milhões, dos quais R$ 109 milhões para o distrito. Além disso, desde 2005 teriam sido pavimentados 350 quilômetros de ruas, inauguradas uma unidade de pronto atendimento médico e três escolas e construídas duas avenidas sanitárias. Atualmente, a prefeitura conta com arrecadação anual de R$ 100 milhões, incluindo repasses federais e estaduais e o recebeimento do Imposto sobre a Propriedade Predial Territorial Urbana (IPTU).

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: lucio guimaraes
infelismente o povo de justinopolis so tem barriga quando da emancipaçao receberao onibus de graça pela prefeita na epoca e foram para a praia deixando assim de votar agora vivem essa porcaria que é aqui | Denuncie |

Autor: Delia Maria
Ja passou da hora de justinopololis emancipar, com 49% dos moradores é um distrito abandonado e esquecido, inclusive pelo administrador regional. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Envie sua história efaça parte da rede de conteúdo do grupo Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.