SIGA O EM

Papa Francisco envia carta a casal gay brasileiro por batismo dos filhos

Cerimônia foi realizada em abril e, dois meses depois, o casal enviou fotos e os certificados de batismo para o sumo pontífice, mas não esperava uma resposta

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1140721, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o/Facebook', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/08/08/890247/20170808174238626006a.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 08/08/2017 13:49 / atualizado em 08/08/2017 17:44

Agência Estado

Reprodução/Facebook

Depois de batizar os três filhos em uma igreja católica de Curitiba, no Paraná, o casal Toni Reis e David Harrad recebeu uma carta de felicitações do Papa Francisco. "O Papa Francisco lhe deseja felicidades, invocando para a sua família a abundância das graças divinas, a fim de viverem constante e fielmente a condição de cristãos", diz o documento assinado pelo Monsenhor Paolo Borgia, assessor para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado.

A cerimônia foi realizada em abril e, dois meses depois, o casal enviou fotos e os certificados de batismo para o sumo pontífice, mas não esperava uma resposta.

"Nós estamos extremamente felizes. Queríamos comunicar ao sumo sacerdote essa acolhida da igreja católica que foi muito importante para nós, porque nossos filhos foram bem acolhidos e muito bem tratados pelo arcebispo e pelo padre", disse Toni Reis à reportagem.

Ele conta que foram a quatro igrejas da capital paranaense, mas o batismo era negado. A cerimônia só foi possível depois que falaram com o Arcebispo Metropolitano de Curitiba, Dom José Antonio Peruzzo, que disse um sim imediato.

Reis diz que as palavras que mais chamaram a atenção deles na carta foram "felicidade" e "família". "Um documento do Estado do Vaticano reconhecendo a gente como família é muito importante. O Papa deve receber muitas cartas, mas essa foi para nós e é oficial", disse.

Os filhos deles, Alyson, de 16 anos, Jéssica, de 14, e Filipe, de 12, ficaram "super felizes e adoraram a foto autografada do Papa", enviada junto com a carta. Agora, Reis vai fazer uma cópia colorida do documento e colocar em um quadro, que será "inaugurado" no Dia dos Pais em um almoço especial em família. A carta original ficará muito bem guardada.

"Isso tem um simbolismo muito grande emocionalmente. Nesses tempos de fundamentalismo, o Papa falar isso pra gente nos conforta. Estamos felizes e realizados", afirma Reis.

(Ludimila Honorato)
Tags:
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
claudio
claudio - 08 de Agosto às 18:45
Outro dia, no RJ, a igreja católica participou de uma reunião com outras entidades para traçar estratégias de ajuda aos desfavorecidos do RJ especialmente alvos da atual crise de lá...no final decidiu-se que a igreja católica "aceitaria" doações EM DINHEIRO para redistribuição aos necessitados via aquisição de gêneros diversos..ou seja, esta igreja não perde oportunidade para colocar as garras em dinheiro vivo..cambada de usurários!!
 
claudio
claudio - 08 de Agosto às 18:42
É muita cretinice desses dois homossexuais pedirem penico pro papa já que a igreja não quis aceitar o batismo de seus filhos..ora não quer ..então vá para outra igreja onde haja respeito pelas pessoas independente de orientação sexual..a igreja católica é canalha e até pouco tempo matava mulheres na fogueira e ainda hoje seus padres são pedófilos protegidos ....devem ter gastado um belo dum dinheiro na cerimônia pois a igreja católica que agora "atura' os gays faz tudo por dinheiro,,tipo temer !! ..tem bobo p/ tudo neste mundo!!
 
Marli
Marli - 08 de Agosto às 21:20
Claudio .. Cretinice é sua, de se meter na vida das pessoas. Cuide de seus problemas, seu babaca. O mundo e as pessoas, não vão se ajustar ao seu conceito de certo e errado não ta ? Se toca. Cuida da sua vida . e tente ser feliz .
 
Marcos
Marcos - 08 de Agosto às 14:23
É muito "auê", sem necessidade. Teologicamente falando, qualquer pessoa humana tem direito ao batismo, principalmente no caso da tal "família", em que todos já são jovens, aptos a escolher e presumivelmente escolheram o Batismo de bom grado. Se fossem recém-nascidos poderia haver o complicador de suscitar dúvida quanto à educação religiosa dessas crianças. Esta responsabilidade, na idade deles, deixa de ser dos "pais". |MP|