SIGA O EM

Ator de 'Cidade de Deus' incorpora papel e se torna criminoso na vida real

Ivan da Silva Martins tem cinco passagens criminais e é conhecido como 'Ivan, o Terrível'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1137864, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o', 'link': '', 'legenda': 'Ele era um dos integrantes do bando de Z\xe9 Pequeno', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/07/26/886775/20170726162413970639e.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 26/07/2017 12:07 / atualizado em 26/07/2017 16:31

Agência Estado

Reprodução

Rio de Janeiro, 26 - Um dos jovens que interpretaram integrantes do bando de Zé Pequeno no filme Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles, o ex-ator Ivan da Silva Martins, de 34 anos, incorporou o papel de criminoso à vida real. Quinze anos após participar do sucesso da história da ascensão do tráfico na comunidade pobre da zona oeste, ele é um foragido da polícia. Tem cinco passagens criminais e deixou de ser conhecido como Ivanzinho, apelido que tinha na época das filmagens. Tornou-se Ivan, o Terrível, alcunha que consta de sua ficha policial.

A primeira anotação no prontuário de Martins foi um roubo de automóvel na Barra da Tijuca, na zona oeste, com arma de fogo. O crime foi cometido no mesmo mês em que o filme terminou de ser rodado, em agosto de 2001. Ele cumpriu pena pelo delito, mas foi preso novamente por roubar uma joalheria. Depois, foi fichado por "ameaça" e, pelo crime mais recente, formação de quadrilha ou bando, em 2014. Ainda está foragido por causa dessa acusação. Há ainda uma quinta acusação de roubo.

No documentário Cidade de Deus - 10 anos depois (2013), do diretor Cavi Borges, Martins revelou que estava preso quando o filme foi lançado, em 2002.

"Eu saí da cadeia um dia antes do meu aniversário, e a primeira coisa que eu fiz foi reunir a minha família e assistir ao filme porque eu não tinha assistido", disse.

Martins também se queixa, no documentário, do legado de Cidade de Deus na sua vida.

"Me perguntaram por que estou nessa vida. Estou porque estou na luta, porque preciso de dinheiro, porque o filme não me deu esse dinheiro todo. Tudo isso aí não me valeu de nada, porque não adianta fazer um filme que é conhecido mundialmente e estar duro", afirmou, em seu depoimento no filme.

À reportagem, Borges disse que, em 2000, durante as filmagens de Cidade de Deus, já se sabia que Martins era "problemático", mas lamentou o seu destino.

"Todos os atores do filme tiveram uma oportunidade de melhorar de vida, mas poucos conseguiram se apoiar nela", lamentou. "Às vezes, a estrutura familiar e a falta de dinheiro também contribuem para isso. Mas vários seguiram caminho do bem. Ivan acabou indo pro caminho do mal."

Em entrevista ao jornal O Globo, o diretor de Cidade de Deus, Fernando Meirelles, disse que ficou "chateado" ao ler as notícias sobre Martins e que o ator foi selecionado e participou das filmagens porque sabia interpretar. Além disso, afirmou que ficou sabendo, na época do fim das filmagens, que Ivan havia participado do roubo a um veículo.

"Durante o processo deu tudo certo, ele ia aos ensaios, nunca criou problemas e sabia interpretar", afirmou o diretor ao jornal. "Torcia para que todos achassem um caminho na vida. Depois perdi o contato", contou.

(Constança Rezende)
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Jose
Jose - 31 de Julho às 11:01
O portal UAI, devia fazer um grande favor aos seus leitores que sempre navegam neste site, bloquear os comentários desse ""Full"" que, parece não ter noção e razão de nada.
 
Gilney
Gilney - 26 de Julho às 19:09
Porque a Globo não faz uma série focando o policial do bem (maioria) de forma similar a esta série que vai passar agora,onde o foco são os médicos com suas dificuldades, seus conflitos e seus sofrimentos. Os médicos não correm os mesmos risco de um policial. O Policial se despede de sua esposa e filhos todos os dias de uma forma como se fosse a ultima. Ele não sabe se vai voltar. Eles preferem fazer uma novela ou uma série, focando o traficante, o crime e agora os médicos que tem que decidirem se salvam um policial ou traficante. O que a Globo tem contra a polícia, ? me expliquem!
 
FullMetalJacket
FullMetalJacket - 26 de Julho às 21:36
Policial de bem??? Kkkkk! Faz-me rir! E se eu fosse médico, também escolheria o traficante!
 
Gilney
Gilney - 26 de Julho às 19:01
Este é o pessoal que a Globo tanto glamoriza. Não é a primeira vez que um "ator" global mostra o lado criminoso. Porque os Marinhos, não acomodaram este pessoal em suas casas na epoca. Porque não lhe deram comida, emprego descente. Simplesmente os abandonaram e depois ficam ai fazendo publicidade de serem uma emissora do povo e etc. São que nem o PT, falam que trabalham para o povão mas vivem como reis em seus palácios. São falaciosos.
 
Thiago
Thiago - 26 de Julho às 17:03
No nosso país a polícia é odiada e o criminoso tratado com herói. Na verdade todo mundo quer ser um "fora da lei".