SIGA O EM

Madrasta de Isabella Nardoni vai para o regime semiaberto

Depois que a decisão for notificada para a Secretaria de Administração Presidiária, Jatobá deve ser transferida para outra ala, que também abriga Suzane von Richtofen

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1135924, 'arquivo_grande': None, 'credito': 'Filipe Ara\xfajo/AE', 'link': '', 'legenda': 'Anna Carolina Jatob\xe1 est\xe1 na Penitenci\xe1ria Feminina de Trememb\xe9, S\xe3o Paulo, desde 2008', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/07/17/884552/20170717175614119580i.jpg', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}]

postado em 17/07/2017 17:51

Correio Braziliense

Filipe Araújo/AE

Nesta segunda-feira, 17, a Justiça de São Paulo concedeu a Anna Carolina Jatobá, condenada pela morte da enteada Isabella Nardoni, progressão de regime. Agora, ela cumprirá a pena em regime semiaberto, podendo deixar a penitenciária durante os dias para trabalhar, mas deve dormir na prisão. Além disso, tem direito a cinco saídas temporárias por ano, os famosos saídões.
 
Depois que a decisão for notificada para a Secretaria de Administração Presidiária, Jatobá deve ser transferida para outra ala, que também abriga Suzane von Richtofen.

A decisão foi da juíza Sueli Zeraik, da 1ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté (SP). Anna Carolina Jatobá está na Penitenciária Feminina de Tremembé, São Paulo, desde 2008. O pedido de progressão para o semiaberto foi registrado em abril deste ano, sob alegações de cumprimento de tempo mínimo do regime fechado e bom comportamento.

Anna Carolina Jatobá foi condenada em 2010, junto com o marido Alexandre Nardoni, por asfixiar e jogar pela janela Isabella Nardoni, filha de Alexandre. A defesa do casou alegou que a criança de cinco anos teria sido morta por um assaltante.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Bruno
Bruno - 18 de Julho às 08:09
Ela matou só 1. Os políticos matam milhares, todos os dias e cumprem pena em casa de milhões de reais...
 
Helena
Helena - 17 de Julho às 18:15
Quando é que vamos acabar com com as brechas nas leis neste país? Infelizmente, dependemos daquela corja do Congresso Nacional.