SIGA O EM

'Não queria matar, só dar um susto', diz acusado de assassinar DJ

Acusado deu dois tiros, um deles na cabeça, do rapaz, na saída de uma festa em Brasília. Nesta quarta-feira, em coletiva de imprensa, o suspeito se defendeu e disse estar arrependido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
[{'id_foto': 1133045, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o/Instagram ', 'link': '', 'legenda': 'Lucas Albo se entregou \xe0 pol\xedcia tr\xeas dia ap\xf3s matar Yago Sik', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/07/05/881608/20170705182052958215o.JPEG', 'alinhamento': 'center', 'descricao': ''}, {'id_foto': 1133046, 'arquivo_grande': '', 'credito': 'Reprodu\xe7\xe3o/WhatsApp ', 'link': '', 'legenda': '', 'arquivo': 'ns62/app/noticia_127983242361/2017/07/05/881608/20170705181029711355e.JPEG', 'alinhamento': 'left', 'descricao': ''}]

postado em 05/07/2017 18:04 / atualizado em 05/07/2017 18:21

Gabriela Bertoni /Correio Braziliense , Correio Braziliense

Reprodução/Instagram

Acusado de matar o DJ Yago Sik, 23 anos, com dois tiros na saída de uma festa no Conic, Lucas Albo, 22, afirma que não tinha intenção de matar a vítima, mas, apenas "dar um susto" no rapaz. Os investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), porém, consideram que o crime premeditado, uma vez que Lucas saiu da boate para pegar a arma, voltou ao Conic e esperou até que Yago saísse da festa para executá-lo. Segundo Rogério Oliveira, delegado chefe da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), ele será indiciado por ameaça, injúria, homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e por impossibilitar a defesa da vítima. Se condenado, pode pegar de 15 a 30 anos de prisão.     


Após o crime, que ocorreu às 6h de domingo (2/7), Lucas teria se escondido na casa de conhecidos em São Sebastião, onde esteve até à noite dessa terça-feira (4/7). Ao ser apresentado à polícia, o acusado chorou muito e negou o uso de qualquer tipo de entorpecentes. Ele, porém, não soube explicar como saiu do local do crime e disse não saber do paradeiro da arma utilizada. 
A prisão decorreu a partir de negociação entre a Polícia Civil e o advogado de defesa de Lucas, que solicitou que o acusado não fosse apresentado à imprensa. Com a polícia já a caminho da casa onde o rapaz mora com a família, no Jardim Botânico, o suspeito teria fugido, mas minutos depois voltou ao local e se entregou. Lucas já foi preso duas vezes por porte de arma de fogo e, segundo a investigação, a família se mostrou extremamente chocada com o crime e ajudou na negociação que resultou na prisão de Lucas.

Reprodução/WhatsApp
Sobre as mensagens que Lucas teria enviado à namorada, no momento em saiu da festa para buscar a arma que tirou a vida de Yago, o acusado confirma. "Enviei, sim". Nas imagens, é possível ler os xingamentos que Albo direcionou à jovem, além de ameaçá-la de morte.  
 
Com gritos de 'justiça' e 'assassino', amigos e familiares de Yago estiveram na delegacia nesta manhã, à espera de Lucas Albo. "A prisão do Lucas não traz Yago de volta, mas é justiça. O Yago era luz. Foi vítima de inveja. Pra mim, foi a melhor surpresa a prisão do Lucas", conta Eva Rodrigues dos Santos, 24, amiga da vítima.
 
Os amigos da vítima pretendem fazer uma festa beneficente, com DJs amigos do rapaz, na intenção de arrecadar agasalhos e fazer uma boa ação em nome de Yago como forma de despedida.
 
Lucas passará a noite na 5ª DP e será transferido para o  Complexo Penitenciário da Papuda nesta quinta-feira (6/7). 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
ROBSON
ROBSON - 06 de Julho às 10:20
Queria assustar e deu um tiro na cabeça, o que faria se quisesse matar ?????
 
sergio
sergio - 06 de Julho às 08:35
É a desculpa de sempre dos COVARDES, dizer que não queria matar portanto uma arma e ainda atirando? Essa desculpa só cola para os defensores dos direitos DESUMANOS TUPINIQUINS! #Hipócrita
 
Lucio
Lucio - 05 de Julho às 20:09
Defesa mais idiota que essa, impossível. O cara está encostado numa parede, esperando paciente e tranquilamente a saída da vítima e aí dispara várias vezes a queima roupa e ainda alega que não queria matar? O advogado está demonstrando que não tem mesmo como defende-lo ao orientar tal linha de defesa. Que esse desgraçado apodreça na cadeia, lixo humano.
 
sandro
sandro - 05 de Julho às 19:33
um susto com dois tiros ne idiota. Devia achar alguem pelo caminho pra dar um susto nele tambem com pelo menos uns 5 tiros. Vai dar susto agora é nas aranhas na cadeia, vagabundo assassino......